Notícias sobre o mercado imobiliário e economia Ir a idealista.pt »

empresas

Fonte: INE

Segundo dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), que tem por base os resultados apurados no Inquérito de Conjuntura ao Investimento de outubro de 2013 (com período de inquirição entre 1 de outubro de 2013 e 23 de janeiro de 2014), no ano passado, registou-se uma diminuição de 8,3% da Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) empresarial, ou seja, do investimento feito pelas empresas. De acordo com o INE, o investimento empresarial, apesar de ter caído em 2013, deverá crescer 1,1% este ano.

Notícia sobre:
Empresas

A imagem em cima indica quais são, este ano, as melhores empresas para trabalhar, segundo o ranking da revista Exema. De acordo com o Jornal de Negócios, que se apoia na referida lista, a Ericsson abandonou o sexto lugar alcançado em 2013 e é, em 2014, a melhor empresa para trabalhar. O CH Business Consulting, que o ano passado ocupava a primeira posição, caiu para segundo lugar enquanto a Philips está em terceiro.

Fonte: idealista News
Notícia sobre:
Empresas

A Teixeira Duarte (TD) está a negociar com o governo venezuelano a celebração de cinco contratos de grande dimensão para a construção e reabilitação de infra-estruturas naquele país sul-americano, cujo desfecho poderá ser acelerado durante a visita do vice-primeiro-ministro Paulo Portas, que decorre até quarta-feira.

Notícia sobre:
Empresas
O edifício tem como loja-âncora a marca do estilista norte-americano Michael Kors

O edifício Liberdade 108 tem 2.104 m2 de área bruta locável, sendo os pisos -1, 0 e 1 dedicados a comércio, e os pisos superiores a escritórios. O edifício tem como loja-âncora a Michael Kors, que aqui tem a sua primeira flagship store em Portugal, e a Espirito Santo Property (antiga ESPART) inaugurou aqui a sua nova sede em Portugal, ocupando 3 dos 6 pisos de escritórios.

Notícia sobre:
Empresas

A Mota-Engil África já está criada. Os investidores que quiserem aceder a 20% do capital que a casa-mãe vai dispersar em bolsa, terão de ter ações da Mota-Engil no dia 16 de janeiro, revelou a empresa na última sexta-feira, 10 janeiro. 

Ficou estipulado que por cada ação detida da Mota-Engil, os investidores vão receber 0,10334084 ações da Mota-Engil África, escreve o mesmo jornal.

Notícia sobre:
Empresas

A cadeia francesa de hipermercados Carrefour pretende adquirir 127 centros comerciais, num investimento de cerca de dois mil milhões de euros. Os países visados são sobretudo a Espanha, a Itália e a França. A operação será realizada junto da Klepierre, um grupo francês de investimento imobiliário que possui e faz a gestão de centros comerciais em toda a Europa.

Notícia sobre:
Empresas

Empresas portuguesas podem ver-se impedidas de receber pagamentos: O atual sistema de pagamentos, utilizado por empresas, Estado e consumidores, vai mudar já a partir de 1 de Fevereiro de 2014, e a maioria das empresas portuguesas não está preparada para esta migração. O alerta tem sido dado pelo regulador, pela Associação Portuguesa de Bancos e pelas próprias instituições financeiras, que receiam que a migração tardia para o novo modelo venha a provocar o caos no sistema de pagamentos a partir do próximo mês. (Diário Económico)

Notícia sobre:
Empresas

O Fundo Soberano de Angola (FSDEA) está em negociações com grandes cadeias hoteleiras internacionais para desenvolver uma rede de hotéis em África.Em declarações ao Diário Económico, José Filomeno dos Santos, presidente daquela entidade que gere activos avaliados em cinco mil milhões de dólares, admite que o fundo está também disposto a estabelecer parcerias estratégicas com empresas portuguesas do sector.

Notícia sobre:
Empresas

Nos primeiros 11 meses do ano, o número de insolvências cresceu 13,4%, atingindo um total de 8.119 casos. Quer isto dizer que abrem falência 35 empresas todos os dias. Segundo dados da empresa Ignios, especializada em serviços de gestão integrada de risco, entre janeiro e novembro, foi ultrapassado o número total de insolvências registado no ano passado.

Notícia sobre:
Finanças

Passos não descarta programa cautelar de um ano: O primeiro-ministro Pedro Passos Coelho disse esta quinta-feira, em entrevista à TSF/TVI, que não afasta a hipótese de Portugal vir a precisar de um programa cautelar e que, a acontecer, durará um ano. “Podemos sair do programa com ajuda ou sem ajuda. As duas hipóteses são possíveis”, referiu, adiantando que neste momento nenhum programa cautelar “está a ser negociado”, mas que nos próximos meses poderá haver contatos nesse sentido com a troika, Eurogrupo e Ecofin. (TVI24)

Notícia sobre:
Empresas

Páginas