Notícias sobre o mercado imobiliário e economia Ir a idealista »

habitação

Cortes no salário, desemprego inesperado, dificuldades em pagar as prestações ao banco devido ao aumento do custo de vida, mudança de país ou um divórcio são alguns dos motivos mais comuns que levam os proprietários a precisar de vender a casa com urgência.A pressa joga a favor de quem quer comprar bem e barato. Para que possas descobrir verdadeiras "pechinchas" e fazer bons negócios, preparámos-te uma lista com "20 casas para venda urgente" anunciadas no idealista.pt. A partir de 25 mil euros tens várias oportunidades de norte a sul do país. E a maioria dos imóveis custa até 80000 mil euros.

Imagem - 20 casas para venda urgente
Notícia sobre:
Habitação
Imagem - Crédito à habitação: juros e prestação voltam a descer em fevereiro

A taxa de juro implícita no crédito à habitação manteve, em fevereiro, a tendência decrescente iniciada em agosto do ano passado, fixando-se em 1,325% (menos que os 1,340% verificados em janeiro). Já a prestação média vencida para o conjunto dos empréstimos diminuiu um euro face a janeiro, fixando-se em 241 euros.

Notícia sobre:
Crédito à habitação
Imagem - Sinais de mudança no imobiliário (para quem compra e vende)

Após a crise em que mergulhou o mercado imobiliário nos últimos anos, parece haver agora sinais de mudança. E nas placas nas janelas das casas começa a ler-se a expressão “vendido” em vez de “à venda”. E os sinais são favoráveis tanto para o vendedor como para o comprador, sendo possível concluir que é uma boa altura para aproveitar a tendência e comprar casa.

Notícia sobre:
Habitação
Imagem - Crédito malparado na habitação sobe em janeiro

Há mais portugueses a sentir dificuldades em pagar a casa ao banco. O crédito malparado na habitação, em percentagem do total do crédito concedido para este fim, subiu de 2,45% em dezembro para 2,47% em janeiro, atingindo os 2.512 milhões de euros. Em causa estão dados do Banco de Portugal (BdP).

Notícia sobre:
Crédito à habitação

Comprar casa é hoje mais caro do que nos últimos anos. Segundo dados do Índice Confidencial Imobiliário (Índice Ci), portal de estatísticas residenciais que agora analisa os valores finais de venda e não os de oferta, como anteriormente, os preços dos imóveis subiram 1,2% em 2014. É a primeira vez em sete anos (desde 2007) que o preço das casas aumenta.

Vista panorâmica da cidade do Porto.
Notícia sobre:
Habitação
Imagem - Preço das casas sobe pela primeira vez desde a chegada da Troika

O preço de venda de casas subiu, em janeiro, pela primeira vez desde a entrada da Troika em Portugal, o que aconteceu em 2011. Em causa está um estudo mensal com 150 empresas de promoção e mediação imobiliária, que foi apresentado recentemente.

Notícia sobre:
Habitação

As casas dos bancos podem ser boas oportunidades de negócio. Para te ajudar a encontrar imóveis com preços de desconto face ao mercado, o idealista.pt preparou uma lista com as 50 casas mais baratas em Portugal, que pertencem a bancos e estão agora à venda, através de agentes do mercado imobiliário. Há uma por 17.000 euros, várias por menos de 50.000 e outras tantas até 95.000.

Imagem - As 50 casas mais baratas dos bancos à venda
Notícia sobre:
Top idealista
Imagem - Radiografia do dia: Evolução dos custos de construção de casas novas em Portugal

A taxa de variação homóloga do Índice de Custos de Construção de Habitação Nova no Continente foi -0,1% em novembro. Trata-se de uma taxa inferior 0,6% face à observada no mês anterior, segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE). Já o Índice de Preços de Manutenção e Reparação Regular da Habitação apresentou uma taxa de variação homóloga de -0,3% (-0,1% em outubro).

Notícia sobre:
Habitação
Imagem - Reforma do IRS: de inquilinos a senhorios, toca em todos - resumo 2014

A reforma do IRS, que vai começar a ter efeitos a partir de 2015, marcou a agenda política e noticiosa do ano. Desde as especulações, às várias propostas da Comissão responsável pela reforma, até à versão final que foi aprovada em dezembro no Parlamento, muito se escreveu sobre o tema. Uma coisa é certa e comum às várias versões, nesta reforma fiscal ninguém escapa, nomeadamente no setor imobiliário: desde senhorios a inquilinos todos são afetados.

Notícia sobre:
Finanças

Páginas