Notícias sobre o mercado imobiliário e economia Ir a idealista.pt »
em cinco anos, a prestação média desceu de 427 para 273 euros
em cinco anos, a prestação média desceu de 427 para 273 euros

um terço do salário vai para a prestação da casa

Escrito por: equipa@idealista

a falência do banco lehman brothers, em 2008, mergulhou o mundo numa grande crise financeira. na altura, o custo do crédito à habitação era insustentável, já que as prestações eram muito altas. agora, cinco anos mais tarde, a mensalidade a pagar ao banco pela concessão de um empréstimo para a compra de casa é bem inferior, e os salários médios também aumentaram, embora de forma residual. em portugal, a prestação média representa pouco mais de um terço dos salários líquidos

de acordo com o jornal de negócios, em novembro de 2008, após a insolvência do lehman brothers, as taxas euribor – são a base para o cálculo das prestações dos empréstimos para a compra de casa – escalaram, tendo atingido um nível recorde: a taxa a três meses chegou aos 5,393% e a de seis meses aos 5,448%. na altura, a prestação média rondava os 427 e os 428 euros, em novembro e dezembro, respectivamente, enquanto o salário líquido mensal ascendia a 765 euros

agora, quase cinco anos depois (dados relativos a agosto), a prestação média ronda os 273 euros, sendo que a descida das prestações foi mais forte do que a quebra do rendimento líquido mensal dos portugueses a partir do primeiro trimestre de 2011, devido ao agravamento da carga fiscal: nos dias que correm, os encargos com o crédito da casa representam 34,1% do salário médio, que estava nos 803 euros no segundo trimestre do ano

Publicidade