Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Home staging: Os 10 erros mais comuns na decoração

Autor: Redação

Ensinar a aproveitar e valorizar ao máximo o potencial de cada espaço e tornar as casas mais atrativas é o objetivo desta rubrica do idealista/news Portugal, assegurada pela Home Staging Factory. Hoje damos-te dicas para renovares a decoração da tua casa. Fica a saber o que deves ou não fazer para dares uma nova vida ao teu lar.

Decorar parece fácil mas não é. Não basta olhar para o espaço e ir à loja escolher o que gostas mais. É preciso organizar os ambientes, tirar medidas, escolher as cores e as texturas que combinam e não cansam e trabalhar bem a iluminação por exemplo.

Ao primeiro olhar parece óbvio. Basta escolher o sofá, um tapete, um móvel para a TV e uma mesa e algumas cadeiras. O pior é quando chegas a casa e o sofá e o tapete que pareciam tão pequenos na loja afinal ocupam o espaço todo da sala!

Para que não te arrependas das compras que fazes e não percas tempo nem dinheiro fica a conhecer os erros mais comuns na decoração.

1 - Definir o estilo

Definir o teu estilo pode ser o pontapé de saída. Nada pior que ter uma casa com a decoração ao gosto da tia.

Além disso, e mesmo que tenhas um gosto eclético, convém definir uma linha e criar um ambiente coerente. Não comeces por comprar todas as peças que gostas. Faz um painel de inspirações com as imagens do que gostas e lembra-te que estás a criar um todo e que as peças devem fazer sentido umas com as outras. Podes misturar alguns estilos mas tens de pensar na harmonia global.

2 - Medir tudo muito bem

A primeira coisa a fazer num projeto de decoração é analisar o espaço e tirar medidas. Tanto para decorar um espaço muito pequeno ou muito grande é fundamental tirar medidas e escolher peças com as dimensões adequadas.

Um dos erros mais comuns é comprar móveis demasiado grandes e ficar sem espaço de circulação. Ou pelo contrário não ter como ocupar um espaço muito grande e ficar com a sensação de vazio.

O melhor é medir os móveis na loja e depois testar em casa com fita adesiva no chão. Vais ver que ajuda bastante.

Lembra-te por exemplo, que além de medir o comprimento e largura da cama, deves medir também a altura da cama e juntar-lhe a altura do colchão para não sentires que dormes numa cama de primeiro andar! 

3 - Comprar pela aparência

Antes de comprares camas, cadeiras e sofás lembra-te que para além do estilo devem ser acima de tudo confortáveis e funcionais. Antes de comprar, experimenta várias vezes, senta-te à mesa, deita-te no sofá como se estivesses a ver um filme e procura saber a opinião de quem tem móveis similares.

De nada adianta criares um ambiente ao teu gosto e depois não teres conforto em casa. Tem ed existir um equilíbrio entre conforto, funcionalidade e estilo para nos sentirmos bem.

4 - Pim Pam Pum

Saber trabalhar a paleta de cores é fundamental! É importante ter uma base neutra que seja harmoniosa e trabalhar as cores nos acessórios. Além disso, é preferível utilizar vários tons da mesma cor do que pintalgar a casa com uma ou duas cores fortes que saltam à vista mal se entra. Abusar de cores fortes não traz equilíbrio para o ambiente.

Ter tudo a condizer é outro (mau) hábito a evitar. Um dos maiores erros é comprar o a combinação aparentemente perfeita da cama, cómoda e mesas de cabeceira ou o conjunto da mesa de jantar e respetivas cadeiras! Aquilo que à primeira vista parece ideal é o desastre completo para o ambiente da tua casa.  Vai parecer que trouxeste o show-room da loja!

A mistura e a combinação de vários estilos evitam que a casa pareça um catálogo e dão personalidade ao ambiente. Compra as peças maiores, como a cama e a mesa da sala de jantar de uma coleção e os restantes móveis, como a mesa de cabeceira e as cadeiras e a mesa de café, de outras. 

5 - Excesso de acessórios e desorganização visual

O excesso é inimigo da estética e do conforto visual. É preferível ter menos mobiliário e menos acessórios de decoração que um amontoado de tralha. Dá destaque a algumas peças bonitas e arruma tudo o resto em gavetas e armários. 

Organiza os acessórios em grupos em vez de espalhar os acessórios pelas prateleiras que cria a sensação de exposição de coisas desconexas.

Investe em organizadores, armários, estantes e espaços de armazenamento para que tudo fique arrumado. O excesso de peças cria um ambiente confuso e pesado.

6 - Má iluminação

Falhar na iluminação é bastante comum e pode estragar todo o trabalho. Uma boa iluminação é fundamental para destacar peças e ambientes.

Planeia a iluminação de cada espaço de forma a criar um ambiente aconchegante e harmonioso. As salas e os quartos devem ter iluminação indireta e quente. Escolhe luzes amarelas e não brancas. A luz branca só faz sentido em locais que requerem bastante luz como a cozinha e as casas de banho. E mesmo assim aposta em alguma luz indireta nestes espaços.

O tipo de iluminação escolhido tem impacto direto e imediato nas sensações que o espaço gera. Por isso, tenta utilizar as diversas opções de iluminação para tirar maior proveito do espaço.

7 - Quadros mal posicionados

Outro dos erros é a localização e disposição dos quadros. Não ponhas quadros muito pequenos em paredes muito grandes ou vão parecer um selo de um envelope. Os quadros pequenos podem ser agrupados e criar um conjunto harmonioso. Outra técnica é apostar em molduras grandes. Devem ainda ser colocados à altura dos olhos.

8 - Tapetes desajustados

Os tapetes querem-se grandes e a delinear a área de um determinado ambiente. Devem por exemplo cobrir toda a área de estar, ficando por baixo dos cadeirões e sofás. Caso contrário vão parecer que estão a nadar no espaço, além de atrapalhar a movimentação das cadeiras e das pessoas. 

9 - Ir atrás das modas

Seguir a moda do momento é outro erro. Mesmo que gostes de mudar frequentemente a decoração da tua casa não caias no erro de comprar toda a nova coleção que daqui a uns meses te vai parecer desatualizada.

Opta por comprar peças bonitas e intemporais e ir alterando os acessórios. Segue o teu estilo e não compres peças que apesar de achares bonitas hoje vais odiar daqui a uns meses!

10 - Cortinados

Os cortinados servem para “vestir” os ambientes e devem ser posicionados cerca de 30 cm acima do vão e ficar a bater no chão. Não devem ficar nem mais curtos nem amontoados no chão.

Relativamente a padrões lembra-te de não escolher cores ou padrões muito marcados ou corres o risco de te cansar rapidamente. Escolhe tecidos leves e esvoaçantes em decorações mais simples, informais e ambientes campestres ou de praia e tecidos mais pesados se quiseres um ambientes mais acolhedor e quente. Também tens a opção de mudar consoante a estação do ano. No inverno aposta em tecidos mais quentes e no verão em tecidos ligeiros e mais frescos.