Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Os mandamentos do Home Staging para que vendas ou arrendes melhor a tua casa

Autor: Redação

Ensinar a aproveitar e valorizar ao máximo o potencial de cada espaço e tornar as casas mais atrativas é o objetivo desta rubrica do idealista/news Portugal, assegurada pela Home Staging Factory. Hoje apresentamos-te o guia completo sobre o que é afinal o home staging e como podes utilizá-lo de forma simples e eficaz. Aproveita a Silly Season  e valoriza a tua casa!

Apesar de já ter quase tantos anos quanto a Ponte 25 de Abril, o home staging ainda é um conceito novo para a maioria dos portugueses.

Nascido nos EUA, o home staging é um conceito de marketing aplicado ao produto imobiliário que potencia a rapidez da venda ou arrendamento e o valor negociado pelo imóvel. A técnica consiste em preparar visualmente um imóvel de forma a torná-lo mais atrativo aos olhos do cliente, despertando nele o desejo pela compra ou arrendamento.

Tens dúvidas? Estudos afirmam que a decisão de aquisição de um imóvel ocorre em apenas 30 segundos após a entrada do cliente na casa. Ou seja, se entrares num espaço bem organizado, com uma boa luz e com um ambiente acolhedor (em vez de entrares numa casa atulhada, sem luz e com as paredes às cores) a probabilidade de quereres morar ali e fechar negócio aumenta.

Para te ajudar a valorizar a tua casa e a fazeres um bon negócio deixamos-te aqui o b-a-ba do home staging:

1. ARRUMAR

Minimizar é a palavra de ordem. Despersonalizar. Criar espaço. Melhorar a circulação. Uma casa com menos coisas transmite mais harmonia, conforto e identificação. Todos sabemos que o caos repulsa e a ordem atrai.

2. BRILHAR

A sujidade provoca sempre rejeição. A casa deve estar imaculadamente limpa e a brilhar, incluindo espaços exteriores. Atenção às manchas e maus cheiros, um dos principais factores de rejeição de uma casa.

3. CUIDAR

Lista as reparações a fazer. Se a primeira impressão do visitante for negativa o cliente vai-se focar nos aspectos negativos da casa. Portas que não abrem, torneiras que pingam, chão que range, puxadores partidos... Elimina qualquer argumento possível de rejeição ou de negociação do preço da casa.

4. DESPERSONALIZAR

Refresca o ambiente e dá-lhe um ar lavado, actualizado e fresco. Usa cores neutras, renova cozinha e casas de banho (podes por exemplo pintar os azulejos), substitui os têxteis e ajuda o teu cliente a identificar-se com o espaço. Retira tudo o que é muito pessoal.

5. RE-ORGANIZAR

A organização do mobiliário é o ponto mais importante na valorização do espaço. Coloca o mobiliário no sítio certo (não obstruas passagens e janelas) e com as medidas correctas (um sofá muito grande dá a impressao que a sala é pequena). Facilita a circulação e a entrada da luz natural. Dá uma ideia ao visitante de como pode decorar o espaço.

6. ILUMINAR

A iluminação faz milagres, valoriza recantos, objectos e o ambiente em geral. Tem o poder de transformar qualquer espaço, tornando-o acolhedor ou repulsivo. Potenciar a luz natural, privilegiar cores neutras ou utilizar espelhos pode transformar totalmente um espaço.

7. VALORIZAR 

A valorização utiliza todas as regras e algumas técnicas de design de interiores e decoração que ajudam a valorizar o espaço. Potenciar a vivência dos espaços, criar diversos ambientes, realçar os melhores atributos (como por exemplo uma varanda), minimizar os pontos negativos e tornar o espaço apetecível é o objectivo.

8. FOTOGRAFAR 

As fotografias são o primeiro e mais forte instrumento de venda. Uma boa luz e bons ângulos mostram mais e melhor. Leva o cliente a apaixonar-se pela casa e a marcar visita.

E deixamos-te uma última dica:

Compra umas revistas de decoração para te entreteres na praia e tenta perceber porque os ambientes são sempre de sonho! Repara nas cores, nos objectos, na distribuição e dimensões do mobiliário e na produção fotográfica.