Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Atom elege Portugal como objetivo para 2020: quer comprar hóteis em Lisboa e Algarve

Socimi espanhola, participada pelo Bankinter, tem carteira de ativos avaliada em 650 milhões de euros e quer crescer na Europa.

Victor Martín, CEO da Atom
Victor Martín, CEO da Atom
Autores: pmartinez-almeida, @Ana P. Alarcos

A Atom, sociedade de investimento do Bankinter para o setor hoteleiro, vai entrar em Portugal com a compra de novos hotéis em 2020, e já apontou a mira a dois locais. A socimi espanhola está à “caça” de oportunidades em Lisboa e no Algarve, segundo revelou o CEO da empresa, Victor Martín, ao idealista/news. O objetivo da empresa - que depois entrega a gestão dos espaços a cadeias hoteleiras - é engordar a carteira e diversificar o portefólio fora de Espanha, onde também quer continuar a reforçar a sua atividade.

O plano passa por adquirir hotéis em capitais e outras cidades turísticas em países europeus que apresentem segurança jurídica, como Holanda, França, Itália ou Alemanha, e assim reforçar o investimento em zonas urbanas, uma vez que, até agora, as aquisições estiveram, sobretudo, direcionadas para o segmento de turismo e lazer. Atualmente, tem em curso negociações para conseguir o financiamento de 200 milhões de euros, que suportem já alguns dos novos investimentos. 

O CEO da empresa adiantou ao idealista/news que a ATOM pretende continuar a investir em Espanha, em ativos de 4 e 5 estrelas, tendo em paralelo elegido, na estratégia de expansão da marca, o mercado luso como uma prioridade para este ano. “Um dos objetivos para 2020 é ter o nosso primeiro hotel em Portugal”, indica, apontando Lisboa e Algarve como destinos de investimento.

A última compra da Atom é reveladora do novo plano traçado pela empresa, determinada a engordar o seu portefólio de ativos em zonas urbanas. A socimi fechou a primeira operação internacional em janeiro passado com a compra de um hotel em Bruxelas por 8,4 milhões de euros, e admite estar a estudar o mercado belga para fazer novas compras. 

"Iniciámos as primeiras aquisições em fevereiro de 2018 e temos atualmente 28 ativos que somam 6.500 quartos, e um valor em carteira avaliado em 650 milhões de euros", conta Victor Martín. Os principais acionistas da Atom são o Bankinter, com uma fatia de 7%, e a sociedade de investimento imobiliário GMA, com 4% do capital - os restantes 89% pertencem a mais de 600 investidores da banca privada.