Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Da economia global à vida pessoal - guia para entender os efeitos do coronavírus

Photo by Kelsey Knight on Unsplash
Photo by Kelsey Knight on Unsplash
Autor: Redação

Viagens adiadas, feiras e eventos cancelados ou adiados, escolas, teatros, museus e bibliotecas fechados. Bolsas em queda e mercados financeiros a “tremer” com a ameaça de uma nova crise. O surto do coronavírus está a deixar o mundo ligado às máquinas: a contagiar a população e, também, a economia. Ainda é difícil estimar os prejuízos e consequências a médio e longo prazos, mas o idealista/news decidiu compilar um conjunto de artigos sobre o que já se sabe sobre o Covid-19, e o que se está a lavrar no terreno, também, no imobiliário.

O vírus espalhou-se por vários continentes, com fábricas, comércio e serviços a fechar, as empresas com trabalhadores em quarentena e em teletrabalho, e os Governos a terem de tomar rápidas e “musculadas” medidas para fazer frente ao surto. Pede-se serenidade e calma, numa altura em que a prevenção é palavra de ordem, mas ainda é difícil prever o comportamento e evolução desta doença, que já infetou mais de 100 mil pessoas em todo o mundo e gerou milhares de mortes.

Itália fechou comércios por causa do Covid-19 e, nos Estados Unidos, Donald Trump declarou que vão ser suspensos todos os voos vindos da Europa, com exceção do Reino Unido, durante 30 dias.

Imobiliário: o que se segue?

Desde há alguns anos para cá que o imobiliário vive tempos “felizes”, alimentado pela estabilidade e dinâmica da economia, mas agora, e para já, tudo se resume à incerteza do que estará para vir. A hotelaria nacional, por exemplo, terá tido uma perda de receita superior a 30% num mês. Será que o setor já está a sentir os efeitos do contágio? Como poderá proteger-se? O idealista/news ouviu vários representantes do imobiliário, a nível nacional, sobre o tema. O artigo pode ser lido, em detalhe, aqui.

E também já há várias feiras importantes do setor canceladas e adiadas, cá dentro e lá fora:

Entretanto, a vizinha Itália converteu-se no caso mais grave do novo coronavírus fora da China. O Governo decretou a quarentena em todo o país para tentar travar o surto, e já anunciou um pacote de 25.000 milhões para ajudar as famílias e empresas. Do pacote de medidas faz parte, por exemplo, a suspensão do pagamento de empréstimos de crédito à habitação e outros impostos em todo o território.

Avisos às empresas e trabalhadores

O Governo decidiu apresentar um conjunto de medidas para apoiar empresas e trabalhadores, face ao surto de coronavírus, entre elas, o regime de lay-off, que pode ser acionado por motivos de mercado, estruturais ou tecnológicos, devendo ter uma duração previamente definida e não superior a seis meses. O que é, quem pode aplicar, quais os direitos dos trabalhadores e quanto se recebe: neste guia respondemos a esta e outras perguntas.

Mas o que é que uma empresa deve fazer perante um caso suspeito? E quais são os direitos dos trabalhadores em quarentena? E dos recibos verdes? Respondemos a tudo aqui:

Perante este cenário, e apesar de existir o risco latente de o desemprego aumentar em alguns setores da economia, por via da crise, por outro lado geram-se oportunidades de trabalho pela necessidade de reinvenção da sociedade a vários níveis. O Covid-19 poderá abrir as portas a, pelo menos, nove profissões.