Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Filha de Salvador Caetano encaixa 2,8 milhões com redução de posição na ex-Soares da Costa

Autor: Redação

Herdou 11% do Grupo Soares da Costa em 2011. Três anos depois, Ana Maria Caetano já só tem 6,74% da empresa, que agora se chama SDC. Na última semana, a empresária vendeu perto de 700 mil ações e arrecadou 183 mil euros. No total, com a redução da participação na antiga construtora, a filha de Salvador Caetano conseguiu um encaixe de 2,87 milhões de euros.

A Parinama, empresa cujo capital é detido exclusivamente por Ana Maria Caetano, alienou em bolsa 687 mil títulos da SDC a 28 de 29 de maio. No primeiro dia, foram alienadas 467 mil ações por 0,27 euros. Na sessão seguinte, foram vendidas as restantes 211 mil ações, a um preço de 0,2701 euros por unidade. O que resultou nos 183 mil euros recebidos.

"No dia 29 de maio de 2014, a Parinama passou a deter uma participação correspondente a 10.789.000 ações, representativas de 6,74% do capital social e dos direitos de voto da SDC- Investimentos, SGPS, SA", indica a SDC – Investimentos em comunicado emitido através da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários.

Esta é mais uma redução na participação social atribuída à Parinama no capital da SDC – Investimentos, empresa sob o comando de António Castro Henriques (na foto) que abandonou o nome Soares da Costa na semana passada.

Herança de 11% da construtora rende milhões

Em 2010, as partilhas na Salvador Caetano ditaram que a filha mais nova ficasse com os 11% que o grupo detinha na empresa construtora Soares da Costa. Essa participação, a segunda maior após a de Manuel Fino (com 67%), chegou praticamente intacta até 2014.

Contudo, no início do ano, a Parinama, que tem um membro (Jorge Armindo de Carvalho Teixeira) na administração, começou a cortar essa posição, conforme o comprovam os vários comunicados lançados à CMVM.

Janeiro, fevereiro, março e, depois, em maio: Foram nestes meses que Ana Maria Caetano reduziu a sua participação dos 11% para os 6,74% atuais. Pelo meio ficaram alienações que resultaram num encaixe para a empresária de 2,87 milhões de euros, incluindo já os obtidos com as vendas da semana passada.

A SDC - Investimentos, liderada por António Castro Henriques, é um grupo que se passou a assumir "cada vez mais como um gestor de um portefólio de participações e investimentos". Isto porque grande parte do capital da unidade de construção, aquela que era o principal gerador de negócio, foi vendida a António Mosquito. O empresário angolano injetou 70 milhões de euros na Soares da Costa Construções e ficou com 66,7% do capital, ficando a SDC com os restantes 33,3%. A marca Soares da Costa passou a estar exclusivamente associada à unidade de construção, pelo que a "holding" de Manuel Fino teve de mudar de nome. O negócio centra-se agora nas concessões, no imobiliário e na energia.

A Soares da Costa afundou hoje em bolsa, perdendo 5,20% do valor para terminar nos 23,7 cêntimos por ação, resultando numa capitalização bolsista de 37,9 milhões de euros.