Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Reportagens

Queres trabalhar num dos escritórios mais “cool” do mundo? A Uniplaces está a contratar...

Assim que se começa a subir a escadaria que conduz ao escritório da Uniplaces em Lisboa, em plena Estação do Rossio, fica-se com a ideia de que o que vai acontecer a seguir é uma experiência única. Nem mais. O ambiente jovem e descontraído, a par da decoração mostram, desde logo, que o espaço promete. Não é de estranhar, por isso, que a startup portuguesa tenha um dos escritórios mais “cool” do mundo, segundo o ranking da edição de 2016 dos World’s Coolest Offices, da revista nova-iorquina Inc. E a empresa dedicada ao alojamento de estudantes está a contratar, havendo mais de 40 posições abertas até final do ano.

Notícia sobre:

"A Uniplaces pode crescer 10, 15 vezes nos próximos anos"

Uma bola de pingue-pongue é a música de fundo que acompanha o ritmo da descontraída conversa que tivemos com Miguel Santo Amaro nos novos e chamativos escritórios da Uniplaces na Estação do Rossio, em Lisboa. É desta forma, serena e frontal, que o jovem português de 27 anos, um dos três fundadores da startup portuguesa – a par do argentino Mariano Kostelec e o britânico Ben Grech –, conta ao idealista/news que a empresa cresceu “quase 400% este ano”.

Notícia sobre:
Aníbal Guimarães da Costa, presidente da SPES

Certificação sísmica dos edifícios está a ser preparada e ficará pronta até final do ano

“Muitas vezes gasta-se muito mais dinheiro numa banheira de hidromassagem do que a fazer um reforço na estrutura de um edifício" que está a ser reabilitado. Esta é a convicção de Aníbal Guimarães da Costa, presidente da Sociedade Portuguesa de Engenharia Sísmica (SPES) – entidade criada em 1973 e que está sediada no Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC).

Notícia sobre:

Sismos em Lisboa: Câmara quer obrigar proprietários a fazer novas vistorias a troco de descontos no IMI

A Câmara Municipal de Lisboa (CML) é o maior proprietário da capital e está preocupada com os riscos de um potencial sismo. Em parceria com o IST está a desenvolver um projeto que visa fazer o levantamento das condições de todo o edificado de Lisboa, através do cálculo quantitativo da resiliência sísmica de edifícios, frações e quarteirões. A ideia é "tornar obrigatória a realização de vistorias por parte dos proprietários a todos os imóveis e o devido registo no sistema da CML", conta a diretora municipal de habitação, Marta Sotto-Mayor, em entrevista ao idealista news (vídeo).

Notícia sobre:
Helena Roseta, presidente da AML e deputada do PS (imagem de Bruno Martins).

Sismos em Portugal: “Temos de aproveitar onda da reabilitação para exigir reforço da resistência dos edifícios”

Para Helena Roseta não há dúvidas, a prevenção do risco sísmico é “uma matéria muito urgente”, porque um tremor de terra “pode acontecer não daqui a 100 anos, mas a qualquer dia e a qualquer um de nós”. Em entrevista ao idealista/news, a presidente da Assembleia Municipal de Lisboa (AML) e deputada do PS diz que tem de se “pensar a longo prazo” e que o importante é “aproveitar o momento da reabilitação urbana para introduzir a exigência do reforço da resistência sísmica”. A solução pode passar pela criação de fichas de inspeção técnica de edifícios, adianta.

Notícia sobre:

Maior imobiliária espanhola prepara-se para cotar na Bolsa de Lisboa

A sociedade de investimento imobiliário Merlin Properties escolheu Portugal como a extensão natural do seu ponto de origem, a vizinha Espanha. Em entrevista ao idealista/news, o presidente da empresa revela a estratégia de crescimento da companhia no nosso país, dentro do contexto ibérico. Não percas as novidades que Ismael Clemente nos conta "De viva voz", no dia em que se realiza a assembleia geral de acionistas da Merlin.

Notícia sobre:
Sismos em Lisboaentram no topo das prioridades da CML

Sismos em Portugal: "Preparar a capital para reagir tornou-se prioritário para a Câmara de Lisboa"

A prevenção do risco sísmico da capital portuguesa entrou no topo das prioridades da Câmara Municipal de Lisboa. Em entrevista ao idealista/news, o vereador com o pelouro da Proteção Civil revela como é que a autarquia está a preparar a cidade e a população para reagir a um desastre natural como o sismo de 1755, tal como antecipam os especialistas que vai acontecer. Carlos Manuel Castro deixa um aviso ao setor imobiliário: "Quando se compra um imóvel é preciso ter a noção se é resiliente, porque nada nem ninguém é imune a uma catrástrofe".

Notícia sobre:

Palácio Quintela no Chiado: nos bastidores da reabilitação do novo espaço sensação de Lisboa

Reconstruída das ruínas após um incêndio provocado pelo terramoto de 1755 em Lisboa, a antiga residência do Barão Luís Rebelo de Quintela, no Chiado, está a poucos dias de voltar a renascer com uma nova vida e poder ser também "a tua casa". Este é um dos grandes objetivos dos promotores do Palácio Chiado (nº70 da Rua do Alecrim), em plena contagem decrescente para abrir as portas ao público. O idealista/news testemunhou os trabalhos de reabilitação deste espaço histórico, que vai agora oferecer sete diferentes conceitos gastronómicos e de entretenimento, distribuídos por cerca de mil metros quadrados.

Notícia sobre:

Sismos em Lisboa: o que pensam e sabem (ou não) os alfacinhas

A comunidade cientifica está convencida de que Portugal vai voltar a sofrer um sismo de grande violência, semelhante ao que destruiu Lisboa em 1755. O idealista/news foi para a rua no centro da capital perguntar o que pensa e sabe quem vive ou trabalha por ali sobre o alto risco sísmico da cidade e a qualidade dos imóveis na capital.

Notícia sobre:

Sismos em Portugal: "É urgente criar um regulamento para a reabilitação urbana para evitar desastres maiores"

João Appleton é um dos 13 especialistas que subscreveu o alerta sobre as falhas de reforço anti-sísmico na reabilitação urbana feito ao ex-Presidente da República, Cavaco Silva. Em entrevista ao idealista/news, o engenheiro civil pede aos novos governantes do país para que"não percam nem mais um dia e adoptem uma política sistemática de abordagem do património construído". O objetivo é simples: minimizar os efeitos de um sismo como o de 1755 em Lisboa, que "com certeza vai voltar a acontecer em Portugal".

Notícia sobre: