Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Habitação

Banca prepara-se para vender mais de 4.400 casas ao consórcio Tikehau e Albatross

O consórcio formado pelos fundos Tikehau e Albatross está disposto a pagar entre 300 e 320 milhões de euros pelo Projeto Zip, um lote que inclui mais de 4.400 casas de vários bancos portugueses, estando localizadas, sobretudo, nos centros urbanos do Porto, Setúbal e Lisboa. Ao que tudo indica, o negócio terá um desconto implícito de 10%, uma vez que a carteira está avaliada em cerca de 360 milhões.

Notícia sobre:

Mediadoras imobiliárias pedem ao Governo e a Marcelo que as agências possam reabrir portas

O setor da mediação imobiliária quer que o Governo e o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, permitam que as agências possam reabrir portas, reconsiderando o impedimento à manutenção da atividade, que está em vigor com o novo confinamento geral. As novas regras não permitem, por exemplo, agendar visitas para mostrar imóveis anunciados para venda.

Notícia sobre:

Rendas em atraso na pandemia? Está em vigor um regime excecional de proteção a arrendatários

Muitos portgueses sentiram, e estão a sentir, os danos colaterais da pandemia da Covid-19, como por exemplo o aumento do desemprego. A renda da casa, no caso dos inquilinos, pode ser uma das “despesas” das famílias que ficam por pagar, entrando as mesmas em incumprimento com os respetivos senhorios. Há, no entanto, um regime excecional de proteção aos arrendatários, que foi alargado até final do primeiro semestre de 2021. Fica a saber tudo sobre este assunto no artigo de hoje da Deco Alerta. 

Notícia sobre:

Visitas aos imóveis com marcação prévia: o pedido da APEMIP ao Governo para evitar "tragédia"

O presidente da Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal (APEMIP), Luís Lima, diz que o setor está absolutamente solidário com as ações do Governo para tentar travar a pandemia e compreende a necessidade de um novo confinamento geral, na sequência da pandemia da Covid-19, mas defende que o acesso à habitação é essencial aos cidadãos e à sobrevivência do imobiliário. Nesse contexto, pede ao Executivo de António Costa que seja revista a possibilidade de se fazerem visitas a imóveis com marcação prévia.

Notícia sobre:

Rendas sobem 2,6% em ano de pandemia

A renda da casa ficou mais cara em 2020, um ano marcado pela pandemia da Covid-19, segundo a informação que consta no Índice de Preços no Consumidor (IPC), divulgado esta quarta-feira (13 de janeiro de 2021) pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). “Tomando o conjunto do ano 2020, a variação média anual do valor das rendas de habitação por metro quadrado (m2) de área útil fixou-se em 2,6% (3,2% em 2019)”, lê-se no documento.

Notícia sobre: