Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Negócios

Venda de quase 9.000 imóveis “custou” 159 milhões de euros ao Novo Banco

O Novo Banco acordou a venda de um bloco de quase 9.000 imóveis – a fundos da americana Anchorage –, o que tirou 159 milhões de euros ao seu resultado líquido nos primeiros nove meses do ano.

Notícia sobre:

Loteamento da Efanor vendido pela Sonae à Grandavenue72 por 30 milhões

Com 104.785 m2 de área bruta de construção acima do solo, o “loteamento Efanor”, em Matosinhos, era um dos ativos de maior valor no portefólio imobiliário da Sonae Capital. Agora, a empresa decidiu vendê-lo à Grandavenue72, dentro da estratégia de alienar ativos não estratégicos. O negócio foi fechado em 30 milhões de euros.

Notícia sobre:

Monopólio adapta-se aos 'millennials': já não se compram casas, mas sim experiências

O objetivo do mítico e popular jogo do Monopólio, inventado por 'baby boomers', mudou nesta versão hipster. Agora já não se trata de comprar propriedades, mas sim acumular o máximo de experiências, como comer um “brunch vegan”, fazer um “passeio de bicicleta” ou uma “aula de ioga”. Quem identificar primeiro uma tendência ganha.

Notícia sobre:

Novo Banco vende 9.000 imóveis por 388,9 milhões a fundos da americana Anchorage

O Novo Banco acaba de acordar a venda de quase uma carteira, designada Projeto Viriato, composta por quase 9.000 imóveis a fundos da Anchorage Capital Group - sendo que também a Bain Capital e a Arrow Global tinham sido convidadas a apresentar propostas.

Notícia sobre:

Novo Banco está a vender carteira com 9.000 ativos entre casas, lojas e terrenos (alguns com inquilinos)

A venda de carteiras de imóveis do setor financeiro - bancos e seguradoras - está cada vez mais dinâmica no mercado nacional. Depois da Tranquilidade e da Fidelidade, agora é a vez do Novo Banco colocar um portfólio de 9.000 ativos imobiliários, a maioria dos quais situados em Lisboa e no Porto. Cerca de metade são residenciais, um quarto são imóveis comerciais e os restantes 25% são terrenos.

Notícia sobre:

Caixa vendeu mais de 1.100 imóveis em seis meses no valor de 300 milhões...

A Caixa Geral de Depósitos está a viver bons momentos no que toca aos negócios imobiliários. No primeiro semestre do ano, o banco do Estado vendeu 1.138 imóveis, avaliados em mais de 300 milhões de euros - dos quais 110 milhões de euros já estão escriturados. Este valor inclui 113 milhões de euros de uma carteira de NPL (malparado) com mais de cinco anos.

Notícia sobre:

O património que Ronaldo quer vender em Espanha

Acusado em Espanha de fraude fiscal, Cristiano Ronaldo pretende agora cortar todos os vínculos com "nuestros hermanos". Já instalado em Turim, o futebolista português prepara-se para vender o património que tem no país vizinho.

Notícia sobre:

Venda do edifício do Novo Banco à Merlin foi assessorada pela Garrigues

As equipas de Imobiliário e M&A da sociedade de advogados Garrigues, lideradas pelos sócios Jorge Gonçalves e Mário Lino Dias, assessoraram a Merlin Properties – a maior empresa imobiliária espanhola cotada em bolsa – na aquisição do edifício do Novo Banco, no Marquês de Pombal, em Lisboa, por 60,3 milhões de euros.

Notícia sobre:

Novo Banco vende emblemático edifício do Marquês por 60,3 milhões a espanhóis

O emblemático edifício número 3 do Marquês de Pombal, em Lisboa - que durante décadas acolheu a sede do extinto Banco Espírito Santo (BES) - acaba de mudar de mãos. O Novo Banco, que tinha herdado este ativo, vendeu o imóvel de 10 pisos à Merlin Properties, a maior empresa imobiliária espanhola cotada em bolsa (com uma capitalização próxima dos 5.500 millones de euros) por 60,3 milhões de euros.

Notícia sobre:

Ex-administrador da PT destrói teses de Sócrates e Salgado na Justiça

O Ministério Público conseguiu um aliado de peso para as suas teses fundamentais na Operação Marquês, contra Ricardo Salgado e José Sócrates. O ex-representante da CGD na PT, Jorge Tomé, foi ouvido no Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) ao longo de quatro horas no passado dia 24 de março e deixou claro que ponderou o apoio à OPA da Sonae, foi contra a compra da Oi e disse que os investimentos em dívida do GES violaram os regulamentos da PT.

Notícia sobre: