Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Mercado laboral

Trabalho não declarado dará prisão ou multa - criminalização aprovada na lei

O Governo aprovou uma proposta de alteração à legislação laboral que prevê a criminalização do trabalho totalmente não declarado, com prisão até três anos ou multa até 360 dias.

Notícia sobre:

Mais de 60% dos trabalhadores nascidos na década de 90 têm contratos a prazo

A percentagem de contratos a termo nos trabalhadores mais jovens “é muito maior” nas gerações mais recentes face às mais velhas, abrangendo mais de 60% dos nascidos na década de 90, segundo um estudo apresentado pela Fundação Calouste Gulbenkian.

Notícia sobre:

Quanto se ganha em Portugal? Estas são as 10 profissões mais bem pagas

O salário mínimo nacional é de 665 euros e deve chegar aos 750 euros em 2023, segundo o relatório que acompanha a proposta de Orçamento do Estado para 2022 (OE2022). Mas há em Portugal quem ganhe muito mais todos os meses, havendo profissões que oferecem salários até 150.000 euros anuais. Fica a saber quais são as 10 profissões mais bem pagas no país.

Notícia sobre:

Empresas que contratam a prazo “em excesso” vão pagar nova taxa

As empresas com contratos a prazo “em excesso” vão começar a pagar uma taxa de rotatividade. Esta é, pelo menos, a pretensão do Governo, que prevê publicar, em 2022, os referenciais que orientarão a aplicação da taxa. Ou seja, as empresas começarão a pagar essa contribuição adicional à Segurança Social (SS) em 2023, revelou a ministra do Trabalho, Ana Mendes Godinho, esta quarta-feira (13 de outubro de 2021).

Notícia sobre:

Apoio a trabalhadores a recibos verdes criado na pandemia termina este ano

O Apoio Extraordinário ao Rendimento dos Trabalhadores (AERT), criado para fazer face às quebras de rendimento dos trabalhadores independentes – a recibos verdes – ou de trabalhadores que ficaram sem o subsídio de desemprego e sem proteção social, termina este ano. No Orçamento do Estado para 2022 (OE2022) não está contemplada esta prestação, apesar de estar prevista uma norma onde o Governo se compromete a reativar os apoios extraordinários, se a evolução da pandemia o justificar.

Notícia sobre:

Teletrabalho em 2020: quase um em cada quatro lisboetas esteve em casa

Em 2020, ano marcado pelo súbito aparecimento da pandemia da Covid-19, cerca de 12% das pessoas que trabalham na União Europeia (UE) estiveram, em média, em teletrabalho. Em Portugal, mais concretamente na Área Metropolitana de Lisboa (AML), houve muito mais pessoas a trabalhar a partir de casa: 23%, ou seja, quase um em cada quatro lisboetas esteve em teletrabalho. Em causa estão dados revelados recentemente pelo Eurostat.

Notícia sobre: