Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Crédito à habitação

Depois da Troika, a bonança: crédito para a compra de casa ao rubro

Atravessada a crise, e os anos da Troika, os bancos voltaram a abrir a “torneira” do crédito para a compra de casa. Há seis meses consecutivos que o “stock” de empréstimos está a crescer, depois de vários anos de quedas, e de um ligeiro arrefecimento nos meses de verão. O montante emprestado está em máximos de mais de um ano.

Notícia sobre:

Spreads para comprar casa custam metade que há três anos

Se estás a considerar pedir um empréstimo ao banco para comprar casa, este é um bom momento. Os spreads custam agora cerca de metade do valor cobrado no início de 2015. Além disso, podes contar com (ainda) baixas taxas Euribor. Mas terás de ter uma situação financeira estável e contar com requisitos mais apertados, porque a banca tem de ser mais cautelosa na concessão de novo crédito à habitação.

Notícia sobre:

Em vias de pedir um crédito à habitação? Conta com estas despesas

Tens na mira a casa que queres comprar e estás a fazer contas ao valor que podes pagar pelo imóvel? Atenção porque se, para isso, vais pedir um empréstimo ao banco, existem várias despesas extras associadas aos contratos de crédito à habitação que se somam ao custo do teu futuro lar. Ainda que variem de banco para banco, segundo a política de comissões de cada instituição, há gastos com que podes dar como certos de uma forma global. Dizemos-te quais.

Gtres
Notícia sobre:

Ranking FT: quatro das melhores escolas de gestão da Europa são portuguesas

Nova, Católica, Porto Business School e ISCTE continuam a conseguir lugar no ranking das melhores escolas de gestão europeias do Financial Times (FT). Todas registaram pior classificação em 2018 que em 2017, à exceção do ISCTE, que subiu 23 posições na tabela. Portugal já é, de resto, o 5º país com o maior número de escolas representadas, a par da Holanda.

Notícia sobre:

CE preocupada com expansão do imobiliário, pede prudência no crédito à habitação

A missão de acompanhamento do "pós-troika" em Portugal voltou a Lisboa na semana passada, tendo estado na capital portuguesa entre 27 e 30 de novembro, a avaliar como está o país. O "boom" do setor imobiliário em Portugal voltou a estar nos focos de atenção dos técnicos da Comissão Europeia (CE), em articulação com o Banco Central Europeu (BCE) e Fundo Monetário Internacional (FMI). E foi dado um aviso claro à banca nacional: é preciso seguir "critérios prudentes na concessão de crédito" para a compra de casas.

Gtres
Notícia sobre:

Dezembro chega sem alterações na prestação da casa

O mês de dezembro é, em regra, um mês de maiores gastos - as prendas e festas de natal.... a passagem de ano.... mas este ano há uma boa notícia: as prestações da casa pagas ao banco ficam quase inalteradas no último mês de 2018. Se tens um crédito à habitação indexado às taxas Euribor vais ficar a pagar basicamente o mesmo. Em novembro, a média da taxa Euribor a seis meses foi de -0,257% (contra -0264% em outubro) e a média da taxa a três meses de -0,316% (face a -0,318% em outubro). 

Notícia sobre:

Sobe número de famílias a falhar pagamento da prestação da casa ao banco

O passado mês de outubro, a área do crédito à habitação ficou marcada por um aumento, ainda que ligeiro, no número de famílias que não conseguem cumprir o pagamento do empréstimo da casa. No mesmo período, os novos contratos de crédito totalizaram 97.986 milhões de euros, segundo os dados mais recentes do Banco de Portugal.

Notícia sobre:

Crédito à habitação está a abrandar com novas regras do Banco de Portugal

O travão imposto pelo Banco de Portugal (BdP), em julho de 2018, à atividade de crédito da banca nacional está já a dar resultados práticos. Os bancos estão a reduzir o montante de empréstimos concedidos para a compra de casa, registando-se uma tendência de quebra pelo terceiro mês consecutivo. Em setembro, segundo os dados mais recentes do supervisor do sistema financeiro, foram dados 790 milhões de euros.

Notícia sobre:

Peritos avaliadores de imóveis em crise desafiados a fazer greve

Perante a crise que afeta atualmente a atividade de avaliação imobiliária Fernando Santo, ex-Bastonário da Ordem dos Engenheiros e atual administrador da Caixa Económica Montepio Geral, manifesta o seu repúdio por esta situação e em jeito de desafiou pergunta: “Senhores avaliadores continuam a trabalhar e não fazem greve?”

Notícia sobre:

Avaliação de imóveis: o problema dos baixos preços e prazos curtos impostos pela banca

Com os valores da avaliação bancária de imóveis em máximos, os peritos profissionais deste setor enfrentam, todavia, momentos de forte baixa. Honorários reduzidos, concorrência elevada (e por vezes) desleal, seguros caros - mas que não cobrem os todos os riscos -, aumento da responsabilidade civil e um regulador, a CMVM, sem meios para fiscalizar, são alguns dos aspetos caraterizam a situação de crise que se vive atualmente na atividade de avaliador imobiliário em Portugal. 

Notícia sobre: