Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Lisboa terá um novo miradouro com a abertura em agosto do novo terminal de cruzeiros

Zetacorr
Zetacorr
Autor: Redação

Com a abertura do novo terminal de cruzeiros de Lisboa, instalado no Jardim do Tabaco – deverá entrar em funcionamento em agosto –, a capital ganhará um novo miradouro, já que haverá no espaço um terraço aberto ao público com vistas para o rio Tejo e para Alfama.

Segundo o Jornal de Negócios, a obra, projetada pelo arquiteto Carrilho da Graça, representa um investimento de 22,7 milhões de euros e vai passar a contar com um sistema de acesso aos navios através de duas mangas (semelhantes às que existem nos aeroportos), que por sua vez estarão conectadas a uma passerelle com uma extensão de 600 metros, que estará ligada ao terminal por três passadiços. O edifício terá uma área total de 13.600 m2.

Para Ricardo Ferreira, diretor-geral da Lisbon Cruise Terminal, concessionária do empreendimento, o edifício terá um terraço com vista de 360º e estará aberto ao público.Será o novo miradouro de Lisboa”, referiu, adiantando que o novo terraço  não terá esplanadas, mas poderá ser alugado para a realização de eventos.

A ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, que chegou a anunciar a abertura deste novo terminal até maio, revelou agora que a estrutura ainda está longe de estar acabada, revelando que o mesmo estará concluído “este verão”.

A governante disse não ter dúvidas de que o novo terminal de cruzeiros de Lisboa, “em vez de constituir uma barreira, constitui uma maior permeabilidade entre a cidade e o rio, porque vai potenciar as vistas, porque vai ter acesso ao público”.

De referir que o novo terminal vai ter uma capacidade máxima de 1,8 milhões de passageiros por ano e poderá passar a receber cruzeiros na modalidade de “turnaround”, ou seja, que comecem ou terminem em Lisboa (atualmente, a capital só consegue receber cruzeiros em paragens intermédias). O novo cais de desembarque, que se estende ao longo de 1.490 metros, terá a capacidade de receber “cinco a seis navios de média dimensão”, contou Ricardo Ferreira, citado pela publicação. O responsável explicou que o atual terminal de Santa Apolónia passará a estar dedicado apenas a navios “premium”, de tamanho mais reduzido.

Neste momento, só existem quatro navios no mundo que não vão poder utilizar o novo terminal de cruzeiros de Lisboa. E o problema não é o cais, mas a ponte 25 de Abril. Em causa estão os navios da classe Oasis, da Royal Caribbean, que têm uma altura de 72 metros, sendo que a ponte eleva-se a 70 metros do nível da água.