Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Quando os desportistas atingem a glória (também) no imobiliário

Três histórias de profissionais portugueses que trazem para as empresas o que aprenderam como atletas. E os bons resultados estão à vista. 

Photo by Fauzan Saari on Unsplash
Photo by Fauzan Saari on Unsplash
Autor: Elisabete Soares (colaborador do idealista news)

Foram desportistas profissionais e tiveram momentos de glória nos relvados ou nos pavilhões, mas também anos de esforço, dedicação e sacrifício para atingir os objetivos. Agora, estão focados no imobiliário e encontram-se à frente de empresas que são projetos vencedores, colocando em prática nos negócios tudo o que aprederam com o desporto, nomeadamente a motivar e incentivar as suas equipas. 

O idealista/news falou com antigos desportistas que se enquadram neste perfil: Miguel Garcia era futebolista do Sporting e agora gere, com um amigo, a Global Pro Kick – gestão e consultadoria de investimentos. Por sua vez, Nuno Fernandes, atleta olímpico e recordista nacional do salto à vara desde 1996 até 2013, e decatlo, abriu a Domus Invicta, agência de mediação imobiliária. Já Guilherme Aguiar, ex-futebolista do Rio Ave, é agora diretor da agência RE/MAX, de São Mamede Infesta, Matosinhos. 

Três histórias de vida diferentes, mas que têm um ponto em comum: o sucesso, o esforço e as lições aprendidas no desporto, que servem agora para ajudar a atingir bons resultados no imobiliário, ao mesmo tempo que motivam outros ex-desportistas que procuram um rumo quando acabam a carreira profissional. 

A seleção destes profissionais, ouvidos pelo idealista/news, foi de resto feita pela Sports Embassy, uma empresa criada por dois ex-atletas profissionais (Inês Caetano, pentatlo moderno, e  Carlos Teixeira, voleibolista), para ajudar outros atletas em fim de carreira a prepararem a sua entrada na vida ativa. 

Miguel Garcia: ‘herói de Alkmaar’ que “ajudava colegas a aplicar poupanças” 

Jogou futebol no Sporting durante alguns anos e ficará para sempre na história dos "leões", porque foi ele que fez o golo, no último minuto do prolongamento, que valeu o apuramento para a última final europeia do clube. Aconteceu na Holanda, numa noite de maio de 2005, e foi assim que Miguel Garcia passou à história como o ‘herói de Alkmaar’. 

Arquivo pessoal de Miguel Garcia
Arquivo pessoal de Miguel Garcia

O alentejano de Moura, com 36 anos, teve uma carreira longa no futebol – passou pelo Olhanense, Braga, Turquia e Índia, onde se despediu dos relvados – mas acompanhou este percurso desportivo com a consultadoria em imobiliário.  

“No início fazia-o a pedido dos colegas com quem tinha confiança”, conta ao idealista/news Miguel Garcia. “Dava-lhes conselhos, sobre como investir, as melhores zonas, que podem vir a valorizar” mas ‘Pro bono’, destaca, afirmando que "bastante mais tarde é que decidi avançar com a empresa”.

Ainda quando desportista iniciou o curso de gestão imobiliária, na ESAI, que terminou quando regressou da Índia. Foi "desenvolvendo uma paixão pelo imobiliário", considerando que esta atividade lhe daria "para ter uma melhor qualidade de vida, já que o horário flexível permite acompanhar a família e, ao mesmo tempo, ter uma boa situação financeira”. 

Arquivo pessoal de Miguel Garcia
Arquivo pessoal de Miguel Garcia

A empresa, Global Pro Kick – gestão e consultadoria de investimentos, que abriu com um amigo, em 2017, em Lisboa, gere, neste momento, ativos de cerca de 4 milhões de euros.  

Nuno Fernandes: “carreira no desporto fez de mim um vencedor” 

Teve uma carreira desportiva repleta de sucessos. Foi sete vezes campeão nacional do salto à vara, entre 1992 e 1998, e uma vez do decatlo em 1992, e representou Portugal em três edições dos jogos olímpicos. 

Ao idealista/news Nuno Fernandes, hoje com 50 anos, destaca a medalha de bronze que ganhou nas Universíadas de Fukuoka, no Japão, ao saltar 5,55m. Representou o CIPA (Clube de Iniciação de Propaganda do Atletismo) entre 1985 e 1992 e depois esteve no Futebol Clube do Porto de 1993 a 2004. Depois, foi o presidente da Comissão de Atletas Olímpicos, entre 2005 e 2009. 

Arquivo pessoal de Nuno Fernandes
Arquivo pessoal de Nuno Fernandes

“Um longo percurso como desportista, que foi também o acumular de uma conjunto de experiências positivas e momentos de sucesso”, resume. Enquanto ia crescendo no desporto, nunca descurou os estudos e tirou o curso de engenharia informática, no ISEP. Mais tarde fez um mestrado em gestão.  

“Trabalhar em grupo, ser consistente no que faço, ser um otimista”, são para Nuno Fernandes, algumas das características que diz ter ‘herdado’ do período como desportista. Por isso, palavras como dedicação e motivação garante que fizeram sempre parte do seu percurso profissional e fazem parte do seu dia. 

Neste momento, o seu desafio chama-se Domus Invicta, uma loja e mediação imobiliária, que abriu, com um sócio, o ano passado na rua Breyner, no Porto. “Habitação, terrenos, projetos de raíz” são atualmente a parte mais significativa da atividade da empresa. 

Arquivo pessoal de Nuno Fernandes
Arquivo pessoal de Nuno Fernandes

Com cinco colaboradores, o objetivo “é crescer de forma sustentada e focarmo-nos no cliente”, afirma o atual empresário, frisando que “não queremos ser grandes, mas sim profissionais”. 

A Domus Invicta está também presente já em Lisboa e "a marca está a ter uma boa aceitação”, considera Nuno Fernandes, que afirma estar, atualmente, "100% focado nesta área da mediação”. 

Guilherme Aguiar: “trabalhar com muita garra para ser o melhor” 

Jogou futebol profissionalmente até aos 21 anos, altura em que uma lesão – uma rotura de ligamentos, “que nessa altura não era de fácil resolução” -, o afastou em definitivo dos campos.

Contudo, conta Guilherme Aguiar, o gosto pelo desporto levo-o a assumir a direção de formação do departamento de futebol do Rio Ave, clube que representou até ao final da carreira. 

Arquivo pessoal de Guilherme Aguiar
Arquivo pessoal de Guilherme Aguiar

Agora com 43 anos, o antigo desportista de alta competição soma uma experiência de 16 anos no mercado imobiliário, sendo atualmente o diretor da loja da RE/MAX de São Mamede Infesta. Para este profissional, o lema é: “trabalhar sempre com muita garra, para ser o melhor”, segundo confidencia ao idealista/news. 

Mas "para ganhar e ser o melhor é preciso trabalhar por objetivos”, assume o profissional que desde que assumiu a direção desta loja – em abril passado – já dobrou a faturação. 

Na sua visão, estes resultados foram possíveis de alcançar, porque conseguiu levar "os comerciais a acreditar que conseguem” mas, também, a “perceberem porque é que alguns não estão a conseguir”. Se, por exemplo, têm problemas pessoais que precisam de resolver. 

Destaca que dar prémios é importante, mas mais crítico “é reconhecer à frente da equipa, das lojas”, que o colaborador se empenhou e mereceu essa distinção. Por isso, diz, “quando prometo pagar um jantar a todos os colaboradores só o faço se atingirmos aquele objetivo”. E se a meta forem 60 angariações e só são conseguidas 59 não há celebração. Porque, “no jogo, no ultimo minuto perde-se”, aponta.

Arquivo pessoal de Guilherme Aguiar
Arquivo pessoal de Guilherme Aguiar
Para Guilherme Aguiar há aspectos muitos importantes que não descura: “sou o primeiro a chegar e estou disponível todos os dias, não deixo para amanhã”. Por isso, refere, “faço todos os dias uma reunião de manhã, e o objetivo é que estejam todos presentes”. Na sua opinião, estas reuniões servem para tirar dúvidas, fazer formação e motivar a equipa. É que, defende o antigo jogador, “a área comercial tem de ser motivada todos os dias”.  

É como no desporto: “se o atleta estiver motivado consegue fazer um bom resultado”, reitera.