Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

idealista tem nova 'homepage'

O principal marketplace imobiliário do sul da Europa estreia nova página inicial em Portugal, Espanha e Itália.

Autor: Redação

A web do idealista, principal marketplace imobiliário do sul da Europa, está constantemente a realizar mudanças que visam melhorar a experiência dos utilizadores na procura de casas, para comprar ou arrendar. Agora, a melhoria em causa faz-se notar pela introdução de um novo desenho da sua 'homepage'. 

Para conhecer como e porque se realizou esta mudança de fundo no processo de procura, entrevistámos Cátia Batista, Head of UX&product do idealista.

A nova página principal é mais limpa a nível dos elementos à vista, o que permite realizar pesquisas de forma mais rápida e adaptar-se às necessidades do utilizador, desde qualquer dispositivo.

"A 'homepage' do idealista mudou por uma necessidade que começámos a detetar a partir das entrevistas que fazemos regularmente a quem procura casa. Há um perfil de utilizador que sabe o nome da zona onde quer viver, do bairro ou que está perto de uma paragem de metro, por exemplo, mas a nossa forma de procura por caixas e mapas não lhes agilizava esse processo, e demoravam mais porque o nosso processo tradicional era o de guiar o utilizador até ao último passo", explica a responsável.

Um projeto de investigação exaustivo

Esta mudança na "home" do idealista também visa beneficiar os anunciantes no marketplace. "Também não nos esquecemos dos clientes finais, que colocam os seus anúncios no idealista. Com este redesenho, no fundo, o que facilitamos é que o utilizador chegue o quanto antes a ver novos detalhes ou uma lista de imóveis. Quanto mais fácil e rápido for este passo, desde o primeiro momento em que entra na web até ver a lista de anúncios, mais tempo poderá dedicar a ver os detalhes em profundidade. E, portanto, maior probabilidade há que se gerem contactos para os nossos anunciantes", acrescenta Cátia Batista.

Para dar resposta a uma necessidade que os utilizadores manifestavam ao idealista, as equipas envolvidas começaram por realizar entrevistas, inquéritos e testes junto de utilizadores, de modo a saber como e onde procuram casa. Através de métricas, conjugadas com análises qualitativas e quantitativas, foi detetado onde era necessário colocar o foco para melhorar. Depois disso, os resultados da versão beta testada por 10% dos utilizadores registados, que foi sendo ampliada pouco a pouco, permitiu entender os efeitos das mudanças a grande escala, nos três países.

"O projeto, que começou há cerca de um ano e meio, obviamente não está terminado. Continuamos a trabalhar para melhorar a página continuamente, graças ao que vamos aprendendo, nomeadamente com os feedbacks dos utilizadores e clientes". Para que "tudo pudesse sair bem", até ao momento "estiveram envolvidas cerca de 20 pessoas da empresa, de várias equipas, a trabalhar intensamente", revela a líder da área, enumerando "as equipas de desenvolvimento, experiência de utilizador e desenho, qualidade, cartografia, posicionamento, análise e fotografia".

Em concreto, foi-se trabalhando "em paralelo para criar zonas ou referências geográficas que têm um nome comum, como as praias, paragens de metro ou comboio, por exemplo, que o utilizador conhece e utiliza normalmente, sendo que antes não lhe facilitávamos a possibilidade de poder encontrar casa à volta". 

Como se põe em prática toda esta informação

Todos os dados conseguidos e analisados foram refletidos no novo desenho da 'homepage' do idealista, dando maior importância à liberdade de procura por texto, em todos os dispositivos disponíveis e procurando uma experiência semelhante entre a web e a app.

A nova página de entrada no idealista permite também personalizar as ações dos utilizadores, com a possibilidade de desenhar a própria zona de procura ou analisar as casas à volta, ao mesmo tempo que garante um acesso rápido às pesquisas guardadas.

"O que esperamos é que os utilizadores consigam o seu objetivo, que é conseguir ver mais imóveis com as características que procuram, na zona que lhes interessa, de uma forma mais rápida e eficaz e, ao mesmo tempo, obviamente, gerar mais contactos para os clientes do idealista", resume.

Mas o trabalho não acaba aqui. O idealista vai continuar com atualizações e melhorias nos próximos meses, dentro da máxima da empresa de sempre desenhar serviços e produtos centrados nos utilizadores e clientes.

Etiquetas
idealista