Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Casa da Arquitetura está a contratar

Página de Facebook da Casa da Arquitetura de Matosinhos
Página de Facebook da Casa da Arquitetura de Matosinhos
Autor: Redação

A Casa da Arquitetura, localizada em Matosinhos, está à procura de assistentes de exposição e monitores para o Serviço Educativo. Com inauguração agendada para o dia 18 de novembro, no Quarteirão da Real Vinícola da cidade, a instituição estará a receber candidaturas até ao próximo dia 20 de setembro de 2017

"Na sua nova morada, a Casa da Arquitetura quer estabelecer um arquivo de arquitetura, conservando acervos diferenciados e fomentando a partilha e o conhecimento da disciplina da arquitetura. Irá dispor de duas galerias de exposição com um intenso programa de atividades públicas e exposições originais", pode ler-se no comunicado disponibilizado no site oficial.

As vagas disponíveis

Uma é direcionada para assistentes que irão dar apoio às exposições e eventos, e a outra destinada a monitores que farão a mediação das diversas atividades de índole pedagógica.

Para concorreres à vaga de assistente, deverás ter mais de 21 anos, ser licenciado "em áreas que se movam entre a Arquitetura, Design, Arte, Educação, História de Arte e Museologia" ou ainda estares a frequentar o ensino superior, privilegiando-se a facilidade de contacto com o público. O domínio oral e escrito de Português e Inglês é um dos requisitos, sendo que serão valorizados conhecimentos de outras línguas. "A condução de visitas orientadas e mediação de atividades pedagógicas variadas", bem como a "conceção e/ou realização de guiões de visitas, oficinas e ateliers" são algumas das tarefas que terás de realizar. 

Os monitores, por sua vez, devem ter mais de 23 anos e ser “estudantes universitários ou licenciados pré-Bolonha e pós-Bolonha e/ou [ter] mestrado integrado” nas áreas referidas anteriormente. “Experiência profissional comprovada em áreas que se movam entre a arquitetura e a educação, bem como ligação à programação e conceção de programas educativos e expositivos” são condições de preferência, às quais se acrescentam "o gosto pelo trabalho em equipa, capacidade de comunicação e relação direta com visitantes de exposições, Museus e outras instituições culturais", mas também o "excelente conhecimento de outras línguas".

Segundo a direção, as colaborações integram uma bolsa de assistentes e monitores que serão remuneradas em regime de prestação de serviços, mediante a apresentação de Fatura-Recibo.