Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Museu Bordalo Pinheiro já está no Google Arts & Culture com mais de 130 peças

A partir de agora, e em qualquer lugar do mundo, será possível ficar um conhecer um pouco mais da obra multifacetada do artista Rafael Bordalo Pinheiro.

Google Arts&Culture
Google Arts&Culture
Autor: Redação

O Museu Bordalo Pinheiro chegou à plataforma Google Arts & Culture no passado dia 8 de setembro. Agora, qualquer interessado, em qualquer lugar do mundo, tem a possibilidade de ficar a conhecer a coleção do museu e a obra multifacetada de Rafael Bordalo Pinheiro. Para já, e numa fase inicial, podem ser vistas mais de 130 peças.

O lançamento da página do Museu nesta plataforma coincide com os 100 anos da morte de Manuel Gustavo Bordalo Pinheiro – ilustrador e ceramista, filho de Rafael Bordalo Pinheiro -, que se comemoram em 2020. Assim, a primeira exposição disponibilizada pela página do Museu é dedicada a este artista.

A exposição virtual sobre Manuel Gustavo Bordalo Pinheiro / Google Arts&Culture
A exposição virtual sobre Manuel Gustavo Bordalo Pinheiro / Google Arts&Culture

“Esta aposta na divulgação digital, através do Google Arts & Culture, integra-se num projeto mais geral em que o Museu Bordalo Pinheiro tem vindo a investir”, explica o diretor do Museu, João Alpuim Botelho, em comunicado.

“É uma forma de incentivar as visitas presenciais às exposições, colocando à disposição de todos temas como a figura de Rafael Bordalo Pinheiro, o humor, a caricatura, o jornalismo, a História de Portugal do século 19, como um convite para vir até ao Museu para ver as obras ao vivo”, sublinha ainda o diretor do Museu.

Uma das peças da coleção de Rafael Bordalo Pinheiro / Google Arts&Culture
Uma das peças da coleção de Rafael Bordalo Pinheiro / Google Arts&Culture

João Alpuim Botelho destaca ainda “a importaria de assinalar os 100 anos da morte de Manuel Gustavo Bordalo Pinheiro, um caricaturista português pouco conhecido”, através desta plataforma.

Vista Alegre (dona da marca Bordallo Pinheiro) desafia a pandemia

O grupo Vista Alegre, que detém as marcas centenárias Vista Alegre e Bordallo Pinheiro, com sede em Ílhavo, no distrito de Aveiro, aumentou em 5,2 milhões de euros o volume de negócios nos meses de julho e agosto, comparativamente ao período homólogo de 2019, de acordo com o comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Segundo o documento, o grupo atingiu no mês de agosto um “um volume de negócios de 10 milhões de euros, superando em cerca 66% o período homólogo (seis milhões de euros)”. Assim, os resultados do mês de agosto continuam a mostrar “um sinal da recuperação gradual” da atividade do grupo Vista Alegre Atlantis, face à situação de pandemia da Covid-19. “Os segmentos que mais contribuíram para esta recuperação foram o ‘Grés Forno’ e o ‘Grés Mesa’, essencialmente com vendas para países como França, Holanda e Espanha”, revela o grupo.

Depois do encerramento das lojas nos meses de março, abril, maio e junho devido à pandemia, o canal do ‘Retalho’ adaptou-se à nova realidade, implementando todas as recomendações existentes para este setor, e registou no mês de agosto “um notável crescimento de vendas neste canal, atingindo praticamente o mesmo nível que o período homólogo (-1,2%)”.

No contexto da situação pandémica, o grupo avançou com uma aposta estratégica de alargamento de mercado das vendas ‘online’, o que levou a um crescimento de 184% em relação a agosto de 2019.

“O Grupo Vista Alegre atingiu assim um volume de negócios total de 64,4 milhões de euros no final de agosto 2020 e apesar da quebra verificada face ao período homólogo são já evidentes os sinais positivos de retoma da atividade”, lê-se ainda na nota divulgada.