Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

A psicologia por detrás da limpeza: por que é que arrumar e limpar a casa nos deixa tão felizes?

Uma casa limpa e arrumada contribui para o nosso bem-estar emocional e mental.

Freepik
Freepik
Autor: Redação

Arrumar e limpar a casa pode deixar-nos mais tranquilos e felizes. Aliás, não há nada mais relaxante e satisfatório do que entrar numa casa organizada, onde reina uma espécie de estado de paz e acalmia. Mas já pensaste por que é que isso acontece? De acordo com estudos cientiíficos e psiquiatras, uma casa limpa contribui mesmo para o nosso bem-estar emocional e mental.

A Revista AD ouviu alguns especialistas sobre a psicologia por detrás das limpezas, e todos concordam que alguma disciplina e ordem podem funcionar como terapia e contribuir para uma vida mais feliz. Como?

Reduz ansiedade

Swati Mittal, psiquiatra consultora do Fortis Noida e Swastik Assist Homes, diz que durante o processo de limpar a casa, além de queimarmos calorias, o nosso corpo liberta endorfinas ou substâncias químicas que nos fazem sentir bem. O que quer dizer que este tipo de atividades pode reduzir a ansiedade e contribuir positivamente para a nossa saúde mental.

Freepik
Freepik

Aumenta a felicidade

“Um ambiente ordeiro e organizado afeta o nosso estado mental e físico de maneiras que não podemos imaginar. Desde ter mais tempo para a família até criar uma vida sem stress, uma boa organização contribui para uma vida mais feliz”, confirma ainda Gayatri Gandhi, organizadora profissional.

Gtres
Gtres

Melhora o foco e o desempenho

A sensação de viver num ambiente limpo também aumenta a confiança e proporciona uma sensação de satisfação e motivação. “Se o nosso ambiente estiver em ordem, então também estaremos em ordem e teremos um desempenho melhor ”, diz ainda Jinesh Shah, psiquiatra.

Gtres
Gtres

Limpeza e a pandemia

Jinesh Shah relembra, em declarações à publicação, que o “foco na limpeza e desinfeção de diferentes superfícies durante a pandemia foi stressante e gerou ansiedade para muitas pessoas”. “A pandemia teve um impacto negativo especificamente em pessoas com TOC (transtorno obsessivo-compulsivo) que são obcecadas com limpeza, uma vez que agrava os seus sintomas”, refere.

Freepik
Freepik

Ainda assim, deixa um conselho: nunca devemos ignorar espaços desordenados, condições de vida insalubres, higiene pessoal deficiente ou uma abordagem apática da vida de uma pessoa, “pois este é um claro sinal de depressão que requer atenção médica imediata ”.