Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Um hotel de charme no topo de uma falésia com vista para a Costa Jurássica

O Clifftops foi projetado pelo estúdio londrino Morrow + Lorraine.

Photographs: Sally Morrow | Jim Stephenson / Morrow+Loraine
Photographs: Sally Morrow | Jim Stephenson / Morrow+Loraine
Autor: Vicent Selva (colaborador do idealista news)

A Costa Jurássica é um dos locais reconhecidos pela UNESCO como Património da Humanidade, localizada na costa do Canal da Mancha, no condado de Dorset, no sul da Inglaterra, e esta semana converte-se no cenário perfeito para este hotel.  

Estamos num ambiente com 185 milhões de anos de história geológica, e a erosão costeira expôs uma sequência quase contínua de formação rochosa que cobre os períodos Triássico, Jurássico e Cretáceo. Em épocas diferentes, esta zona foi deserta, e os restos fossilizados de várias criaturas que viveram aqui foram preservados nas rochas.

Aqui, à beira-mar, e dentro do Pennsylvania Castle Estate, o estúdio londrino Morrow + Lorraine projetou o Clifftops. Este é um fantástico grupo de cinco casas de férias com paredes divisórias de pedra que se assemelham à superfície irregular da falésia.

O projeto está localizado entre dois importantes locais históricos: o Castelo Rufus e o Castelo da Pensilvânia, parcialmente em ruínas, uma mansão de estilo gótico. Um requisito exigido pelo English Heritage é que a pedra usada nas paredes externas fosse de Portland, com o objetivo de enfatizar a ligação com o seu cenário histórico e complementar o caráter único da paisagem costeira.

Os alojamentos são parcialmente embutidos no terreno inclinado para reduzir a sua visibilidade do resto da propriedade. A sua localização no topo de uma falésia exigiu um trabalho geotécnico significativo para fundações adequadamente robustas.

No lado do edifício voltado para o mar, blocos de pedra grosseiramente cortados formam paredes divisórias entre as cabanas. As paredes diminuem de altura à medida que se estendem das fachadas, evocando as paredes do quebra-mar usadas para evitar a erosão em muitas praias britânicas.

O outro material principal usado para o telhado e fachadas do edifício é o cobre não tratado, que ficará verde com o tempo para criar uma conexão mais forte com o ambiente natural e o paisagismo da Coe Design Landscape Architecture.

Cada casa tem portas deslizantes que conectamas áreas de estar a decks privativos com vista para o Canal da Mancha. “Os alojamentos são projetados para maximizar a vista do Canal da Mancha, enquanto fornecem uma estética contextual aberta para complementar a paisagem acidentada que rodeia o local altamente sensível”, observam os arquitetos.