Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

O destino mais acessível do mundo? Portugal ganha reconhecimento da OMT

Photo by Paul Green on Unsplash
Photo by Paul Green on Unsplash
Autor: Redação

Pela primeira vez, a Organização Mundial do Turismo (OMT) atribuiu a distinção do destino no mundo que melhor promove as acessibilidades para pessoas com deficiência e Portugal foi o único país a conseguir o galardão, concedido em parceria com a Fundação ONCE. A distinção foi entregue esta quarta-feira durante a 23.ª assembleia-geral da OMT, em São Petersburgo, na Rússia.

Só na Europa, e segundo dados do Governo português, existem 90 milhões de turistas com necessidades específicas de mobilidade. Para a secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, citada em comunicado do Ministério da Economia, este prémio constitui “um grande impulso para que Portugal se torne o destino mais inclusivo do mundo”.

Por sua vez, a secretária de Estado da Inclusão das Pessoas com Deficiência, Ana Sofia Antunes, defende que este é o reconhecimento “de um trabalho sólido e estruturado” que Portugal tem realizado em matéria de acessibilidades.

As medidas para ser "líder" internacional na mobilidade e inclusão

A governante, tal como conta a Lusa, usa como argumentos a favor deste reconhecimento o lançamento do programa Mais Acesso, que irá apoiar projectos de promoção de acessibilidades em cerca de 50 municípios num valor global de 15 milhões de euros, bem como a realização de levantamentos globais das condições de acessibilidade do edificado público.

O programa “All for All” (tudo para todos), lançado em 2016 com o objetivo de capacitar a oferta turística portuguesa e de criar roteiros acessíveis em todo o país, é outro dos pontos de destaque.

Segundo os dados do Ministério da Economia citados pela agência de notícias, até ao momento foram apoiados 116 projetos, que representam um investimento de 20 milhões de euros e que receberam um apoio de 14 milhões de euros.

Entre estes encontram-se a criação de acessibilidades no Castelo de São Jorge, em Lisboa, no Convento de Cristo, em Tomar e nas Caves Calém, em Vila Nova de Gaia.

Nas escolas de Turismo, por seu turno, passou a ser incluído um módulo dedicado ao turismo acessível e, além do programa Praia Acessível, foi este ano lançado o Festivais + Acessíveis, que visa distinguir eventos que apresentem “condições de acessibilidade para pessoas com necessidades específicas”.