Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Sorte ao jogo? Maioria dos portugueses arrisca, sobretudo os homens...

Marktest
Marktest
Autor: Redação

Tentar a sorte ao jogo parece estar no ADN dos portugueses. Os números revelados recentemente pela Marktest comprovam isso mesmo, já que cinco milhões e 250 mil indivíduos dizem ter apostado na lotaria ou noutros jogos de sorte nos últimos 12 meses, o que representa 61,3% dos residentes no continente com pelo menos 15 anos.

Enquanto dois em cada três homens (66,8%) referem jogar em lotarias e jogos de sorte, 56,4% das mulheres também o diz fazer. Entre as idades, as principais diferenças ocorrem no grupo dos mais jovens, mais alheados deste hábito (31,6% entre os jovens dos 15 aos 34 anos), sendo entre os 45 e os 54 anos que mais frequentemente se encontram estes jogadores (69,6%)”, lê-se no site da Marktest.

Segundo o estudo TGI da Marktest, apostar na lotaria ou noutros jogos de sorte é um “hábito bastante democrático (não se observam diferenças entre as classes sociais) e comum a todas as regiões do país”. 

“Entre os vários tipos de apostas, o EuroMilhões é o que recolhe maior número de adeptos, com quatro milhões de apostadores nacionais”, conclui o estudo.