Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

As marcas de carros mais vendidas em Portugal em 2020: Renault continua a ser líder

A marca francesa manteve-se no topo da tabela, mas viu a vendas caírem 35,8% e a sua quota de mercado baixar de 12,96% para 12,80%.

Photo by Martin Katler on Unsplash
Photo by Martin Katler on Unsplash
Autor: Redação

O mercado automóvel também não escapou à crise provocada pela pandemia.
Entre janeiro e dezembro de 2020, a venda de veículos registou uma quebra de 33,9% face a igual período de 2019, e foi nos ligeiros de passageiros que se sentiu o maior impacto: as vendas recuaram 35%, tendo sido transacionados 145.417 automóveis. Apesar das quebras registadas, a Renault voltou a ser a marca mais vendida em Portugal, seguida da Peugeot e Mercedes, e o segmento de luxo mostrou-se resistente.

No ano passado, e segundo os dados divulgados pela Associação Automóvel de Portugal (ACAP), entraram em circulação cerca de 177 mil novos veículos, uma quebra de 33,9% face a igual período de 2019, ano em que foram comercializadas mais de 268 mil viaturas. As quebras foram mais evidentes no segmento de ligeiros (passageiros e mercadorias): houve cerca de 173 mil vendas em 2020, contra mais de 262 mil um ano antes.

Nos ligeiros de passageiros, a Renault voltou a destacar-se. A marca francesa manteve-se líder da tabela, mas viu a vendas caírem 35,8% e a sua quota de mercado baixar de 12,96% para 12,80%, segundo o Jornal de Negócios. A medalha de prata foi para a Peugeot que também sentiu o abalo da Covid-19 - registou uma quebra na ordem dos 33%, mas subiu a quota de mercado dos 10,58% para os 10,90%. O pódio fica completo com a Mercedes, a terceira marca de carros mais vendida no país. Neste caso, as vendas recuaram 17%, apesar do peso de mercado ter subido de 7,4 para 9,46%.

A BMW aparece em quarto lugar, com uma quebra de 24,5% nas vendas, e a francesa Citroen na quinta posição, depois de ter registado uma queda de 41,1%. No sexto lugar a Nissan (-28,5%), no sétimo a Fiat (-53,1%), e em oitavo lugar a Seat (-37,6%). A Volkswagen (-32,8%) e a Ford (-27,3%) fecham o Top 10, na nona e décima posição, respetivamente.

Marcas de luxo resistem à crise

Outros dados da ACAP, citados pelo Dinheiro Vivo, indicam ainda que só três marcas, todas no segmento de luxo, conseguiram aumentar as vendas no ano passado. Foram a Porsche, Ferrari e Aston Martin. A Porsche vendeu 831 carros, contra os 749 de 2019. Um carro desta marca custa, em média, um mínimo de 70 mil euros. Já a Ferrari vendeu 30 unidades, mais quatro do que em 2019, e a Aston Martin conseguiu vender mais um carro, passando das seis para as sete matrículas em 2020.

No total, e segundo a publicação, as marcas de luxo – entre elas estão também a Bentley, Lamborghini e a Maserati – venderam 911 automóveis no ano passado, mais 8,9% do que em 2019.