Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Resort de luxo no Algarve Alfamar envolvido no LuxLeaks

Autor: Redação

Nas empresas envolvidas no Luxemburgo Leaks (LuxLeaks) com ligações a Portugal há um caso no setor imobiliário. Uma das últimas operações reveladas na imprensa internacional envolve o Deutsche Bank (DB) e várias sociedades veículo criadas no Luxemburgo para realizar investimentos imobiliários em países europeus. Em Portugal, estes esquema com data de 2009 envolveu o projeto para a criação de um resort de luxo no Algarve, o projeto Alfamar.

Uma subsidiária do DB (a Luxco I) investiu, segundo explica o Diário de Notícias, numa carteira de imóveis localizados em Portugal, através da sociedade GO II - Luxembourg Alfamar, que adquiriu a Alfamar Investments 2.  
 
O projeto Alfamar é um empreendimento turístico na praia da Falésia, no Algarve, classificado como Projeto de Potencial Interesse Nacional (PIN) e cujo financiamento para a recuperação do hotel de luxo chegou a ser preparado no âmbito das contrapartidas dos submarinos adquiridos à Alemanha.  
 
O Deutsche Bank terá pedido - de acordo com os documentos disponibilizados - benefícios fiscais para os lucros deste projeto.  
 
No caso KBLLIA, a ligação é feita através da subsidiária, a R.E. Internacional, que, por sua vez, adquiriu uma sociedade unipessoal, a Glencove, sediada na Madeira e detentora de uma outra sociedade (a Mad 2). Neste caso, terá sido solicitada a obtenção de isenção fiscal sobre os dividendos obtidos na Zona Franca da Madeira. 

O LuxLeaks surgiu com a revelação-por parte do Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação (ICIJ) - de vários acordos fiscais (alegadamente, secretos) entre o governo luxemburguês e mais de 343 multinacionais. Os mesmos terão permitido que milhões de euros em receitas fiscais fugissem ao pagamento de impostos nos países onde as empresas estão registadas. 

Artigo visto em
LuxLeaks envolve resort algarvio Alfamar (Diário de Notícias)