Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

ANA, Montepio e EPAL "comem" maior fatia das subvenções totais do Estado (que duplicaram num ano...)

Autor: Redação

Publicado com mais um ano de atraso, o relatório da Inspeção-Geral das Finanças (IGF) vem mostrar que o Estado português gastou em 2013 quase o dobro (4.400 milhões de euros) do que tinha gasto em 2012 (2.200 milhões de euros) com subvenções públicas. A gestora aeroportuária ANA foi o maior beneficiário em 2013 (recebeu 81,6 milhões de euros), seguida pela Caixa Económica Montepio Geral (62,5 milhões) e a Empresa Portuguesa de Águas Livres (46,8 milhões).

Em 2012 estavam nos três primeiros lugares do ranking a Cruz Vermelha, a Escola Nacional de Bombeiros e Associação Jardins Escola João de Deus, segundo noticia o Público, citando o relatório da IGF.

Também o número de entidades que recebem estes auxílios, atribuídos para prestar apoio financeiro ou, na maioria dos casos, para pagar por serviços que o Estado delega, cresceu de 17.542 para 40.986, entre 2012 e 2013, enquanto o número de entidades que as concedem subiu 360% – de 117 para 534.

Números que, segundo o Público, podem ser explicados pelo facto de, em 2013, ter entrado em vigor um diploma que veio alargar o número de entidades públicas obrigadas a declararem estes apoios e reduziu-se o teto mínimo a partir do qual o apoio tem de ser declarado.