Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Negócio entre famílias: David Rosas compra património de João Lagos no Porto

Imóvel na Rua dos Clérigos comprado à família de João Lagos / Elisabete Soares
Imóvel na Rua dos Clérigos comprado à família de João Lagos / Elisabete Soares
Autor: Elisabete Soares (colaborador do idealista news)

A família de David Rosas, marca de referência no segmento de luxo em joias e relógios, regressou às compras. Desta vez, adquiriu o património da sociedade Lagos & Irmão - que pertencia a João Lagos, conhecido tenista e empresário, e a familiares seus - constituído por um conjunto de imóveis no Porto e Matosinhos. A “joia” desta carteira é um prédio de seis pisos, localizado na esquina das ruas dos Clérigos e Almada, e o valor da operação rondou os oito milhões de euros, segundo apurou o idealista/news.

O imóvel faz gaveto com ruas dos Clérigos e Almada. / Elisabete Soares
O imóvel faz gaveto com ruas dos Clérigos e Almada. / Elisabete Soares

Nos últimos, dois a três anos, os herdeiros de David Rosas - a viúva Maria Luísa e os filhos Luísa Isabel e Pedro Rosas - compraram vários imóveis na Baixa do Porto num investimento superior aos 10 milhões de euros.  

Deste conjunto, destaca-se o edifício que foi sede do antigo BES, na Avenida do Aliados, e o prédio já reabilitado da Casa Navarro, localizado na Praça da Liberdade, arrendado para o hotel Pestana Porto Goldsmith, que vai abrir no próximo mês. 

Pestana Porto Goldsmith, imóvel propriedade da família Rosas. / Elisabete Soares
Pestana Porto Goldsmith, imóvel propriedade da família Rosas. / Elisabete Soares

Edifício ao lado do Pestana Goldsmith 

O prédio da rua dos Clérigos, com uma área total de 1.770 metros quadrados (m2), e, neste momento, quase devoluto na totalidade - apenas as lojas se encontram a funcionar -, é a parcela de maior valor do património da sociedade Lagos & Irmão, que se encontrava em venda no mercado por 7,5 milhões de euros. 

O imóvel para reabilitar fica localizado ao lado do novo hotel que grupo Pestana se prepara para abrir na Baixa e, segundo alguns dos profissionais ouvidos pelo idealista/news, este imóvel poderá vir a ser transformado numa segunda unidade hoteleira do grupo Pestana. Na opinião de outros, o destino final será a habitação, tendo em conta a grande procura que se faz sentir na Baixa. 

O edifício fica localizado ao lado do novo hotel Pestana. / Elisabete Soares
O edifício fica localizado ao lado do novo hotel Pestana. / Elisabete Soares

Património da sociedade vendido em conjunto 

Um dos requisitos para a concretização da venda do património da Lagos & Irmão era a aquisição da totalidade do património da sociedade, embora a maioria dos interessados pretendesse apenas a aquisição do imóvel da Rua dos Clérigos. 

Deste conjunto, faziam parte três apartamentos - dois T4, no Foco, com áreas de 156 m2 -, e um terceiro, T5, nos Pinhais da Foz, com uma área de 204 m2. 

A carteira incluía, ainda, um armazém na rua Sousa Aroso, em Matosinhos, num edifício em gaveto, com uma área coberta de 4431 m2 e descoberta de mil m2, que permite a construção de um empreendimento de habitação ou de serviços, com a possibilidade de aumentar o número de pisos. 

A venda em conjunto do património pode ser uma das razões que explica o facto de estes ativos terem estado cerca de dois anos no mercado, de acordo com a explicação de um dos profissionais dada ao idealista/news.

Aquisição concretizada em março deste ano 

A compra dos ativos da sociedade Lagos & Irmão concretizou-se apenas em março deste ano, de acordo com o registo da sociedade no portal do Ministério da Justiça.  

A sociedade Lagos & Irmão, que pertencia a João Manuel Lagos Homem de Melo, no cargo de presidente, a João Manuel Lelo Portela Lagos – o conhecido tenista e criador da prova Open do Estoril - e a João Paulo Lagos do Amaral Cabral, vogais, foi vendida à Clerimada – Gestão de Imóveis, S.A.  

Esta sociedade, com sede na Avenida da Boavista, nº 1471, Loja nº 9 – sede da David Rosas Lda. -  tem como objeto a coordenação, fiscalização e gestão de projetos imobiliários, bem como a realização de estudos de organização e técnico-económicos e o alojamento mobilado para turistas.  

A referida sociedade tem com presidente, Pedro Filipe da Costa Ferreira Rosas e como vogais, Maria Luísa da Rocha Ferreira da Costa Rosas e  Luísa Isabel da Costa Ferreira Rosas Viana.  

Investimento em imóveis com localizações prime 

A aquisição de imóveis por parte da família Rosas tem contemplado apenas localizações prime na Baixa do Porto, motivada em parte pelo grande potencial que esta zona da cidade apresenta a nível do retalho, e a possibilidade de parte destes espaços serem ocupados por futuras lojas da David Rosas.  

Uma situação, ao que tudo indica, vai concretizar-se em breve no edifício da casa Navarro – comprada pela família Rosas há mais de dois anos - transformado no Pestana Porto Goldsmith, uma unidade hoteleira de quatro estrelas, com 43 quartos, que é dedicado à filigrana portuguesa. 

Segundo informação do grupo Pestana, divulgada recentemente, a nova unidade que deverá abrir já no próximo mês terá ainda um museu com oficina de filigrana e uma loja.  

Emblemático edifício do BES, a compra mais cara

A aquisição mais cara feita pela família Rosas foi o emblemático edifício ex-sede do BES, nos Aliados, cuja concretização aconteceu por um valor superior aos sete milhões de euros, e que foi conseguido num concurso muito disputado e com fundos internacionais, tal como noticiou a Vida Económica Imobiliário.

Edifício ex-sede do BES comprado no início do ano. / Elisabete Soares
Edifício ex-sede do BES comprado no início do ano. / Elisabete Soares

De acordo com fontes do mercado, este edifício poderá vir a ser transformado em habitação ou em hotelaria, estando nesta altura em fase de estudo. 

A família Rosas tem ainda outro edifício para reabilitar na Avenida dos Aliados. O prédio, com nove pisos acima do solo, e um abaixo do solo, encontra-se em fase de licenciamento. 

O edifício, que apresenta uma fachada de reduzida dimensão, tem uma área total de construção de 1700 m2 e será transformado em 10 apartamentos, segundo o edital que se encontra afixado.