Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Sócio de CR7 investe 2,5 milhões em nova clínica na Foz, junto à mansão do empresário Jorge Mendes

Especialista em tratamentos capilares, a Saúde Viável opera em Madrid sob a marca Insparya - uma parceria do grupo português com Ronaldo.

O antigo colégio INED (à esquerda) e a mansão de Jorge Mendes (à direita) / Google Maps
O antigo colégio INED (à esquerda) e a mansão de Jorge Mendes (à direita) / Google Maps
Autor: Redação

A Saúde Viável, clínica especialista em transplantes capilares, que fez uma sociedade a meias com Cristiano Ronaldo com o objetivo de ser líder do setor em 2022, vai abrir um novo espaço na zona da Foz, no Porto, junto à casa do empresário do jogador da Juventus, Jorge Mendes. A rede liderada por Paulo Ramos já tem quatro clínicas em Portugal – duas no Porto, uma em Lisboa e outra em Vilamoura –, a par de outra en Madrid, Espanha, que opera sob a marca Insparya.

É esta unidade espanhola que é detida em partes iguais pelo grupo português e por CR7, e que servirá como pontapé de saída para a internacionalização do negócio. A Insparya quer investir 25 milhões de euros na abertura de uma dezena de clínicas nas principais capitais europeias, para ser líder mundial do setor em 2022, segundo a notícia avançada pelo Negócios.

Em Portugal, em 2019, o grupo Saúde Viável faturou 24 milhões de euros, mais sete milhões do que em 2018. A nova clínica do grupo deverá abrir nas próximas semanas, numas antigas instalações do colégio INED, na Invicta, depois de um investimento de 2,5 milhões de euros, e vai empregar entre 70 e 80 pessoas.

“Esta nova clínica será também um centro de excelência em I&D”, disse o CEO da Saúde Viável, Paulo Romas, ao jornal. “Aqui ficará localizada toda a área de investigação do grupo, desde a robótica avançada ao estudo em células estaminais, para a multiplicação das unidades foliculares”.

A Sáude Viável vendeu 50% do capital do grupo a um consórcio formado pela “private equity” portuguesa Vallis e a britânica Hermes GPE, e tem como vice António Pires de Lima, antigo ministro da Economia.