Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Fileira digital para materiais de construção: projeto quer promover a transformação nas empresas

O projeto Speed Up, promovido pela APCMC, pretende ajudar fabricantes e comerciantes de materiais a concretizar a transformação dos seus modelos de negócio.

Speed Up
Speed Up
Autor: Redação

Promover a transformação digital da fileira dos materiais de construção. Este é o propósito do projeto Speed Up,  promovido pela APCMC - Associação Portuguesa dos Comerciantes de Materiais de Construção, que quer acelerar a transição dos materiais para uma nova realidade de adoção tecnológica e digital nos processos de negócio das PME. O objetivo é simples: pôr as empresas portuguesas a concorrer em igualdade de circunstâncias com os seus pares internacionais.

O objetivo passa por ajudar fabricantes e comerciantes de materiais de construção a “concretizar a transformação dos seus próprios modelos de negócio, apostando em ferramentas tecnológicas para a sua integração digital, no ‘upgrade’ dos seus processos de governance interna e na dinamização da inovação do marketing digital”, adianta a empresa em comunicado.

Para a APCMC, este é um projeto estratégico e estruturante para a fileira dos materiais de construção, para a atividade de projeto e para a própria construção, em particular para as PME, que irá facilitar a digitalização dos processos internos e a comunicação entre os diversos agentes, propiciando maior eficiência, aumentando a produtividade, dinamizando as vendas pelos canais digitais, impulsionando a utilização das ferramentas BIM (Building Information Modeling) e o EDI (Electronic Data Interchange) entre fornecedores e clientes.

 “É uma iniciativa que pela sua natureza coletiva - uma vez que obriga a uma partilha de dados e a um formato único entre empresas distintas e concorrentes entre si, e pela necessidade de sensibilização, divulgação e demonstração face à novidade e complexidade dos sistemas envolvidos -, não poderia avançar sem um financiamento externo às próprias empresas, neste caso, o apoio do COMPETE 2020”, diz  José de Matos, secretário-geral da APCMC, sobre o projeto Speed Up.

“Trata-se de um serviço em que o interesse, traduzido em valor, é dificilmente apropriável, porque disperso pela cadeia de valor, que só se concretiza em cada um dos seus elementos se todos os outros participarem”, adianta o responsável.

Implantação urgente de medidas

O projeto Speed Up propõe-se implementar em dois anos “medidas que são essenciais e urgentes para que as empresas portuguesas possam daí em diante concorrer em igualdade de circunstâncias com os seus pares internacionais”. Será, assim, verdadeiramente transformador dos processos de negócio e indutor de competitividade a toda a fileira da construção, dentro, mas principalmente para fora do nosso país.

O projeto conta com o apoio do COMPETE 2020 no âmbito do Sistema de Apoio a Ações Coletivas, envolvendo um investimento elegível de 571 mil euros o que resultou num incentivo FEDER de cerca de 485 mil euros.