Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Muro das Namoradeiras reconstruído e Terreiro do Paço recupera traçado que existia há 25 anos

"Foi recuperado o relacionamento pleno com o Tejo que existia antigamente”, diz a Associação Turismo de Lisboa.

Associação Turismo de Lisboa
Associação Turismo de Lisboa
Autor: Redação

A reconstrução do Muro das Namoradeiras, no Terreiro do Paço, em Lisboa, está finalizada. “Além do projeto inicial deste património simbólico ter sido respeitado, foram também repostos os postes de iluminação originais e retirado o aterro entre o Cais das Colunas e a Praça da Estação Sul e Sueste”, refere em comunicado a Associação Turismo de Lisboa, salientando que o Terreiro do Paço recupera o traçado que existia há 25 anos, antes das obras para o túnel e estação do Metro de Lisboa.

Segundo a ATL, a reconstrução do Muro das Namoradeiras envolveu a inventariação de mais de 400 pedras que se estavam depositadas nas instalações do Metro da Pontinha e que regressaram ao Terreiro do Paço para serem remontadas de acordo com o traçado original. “Os oito candeeiros que tinham sido retirados há 25 anos voltaram também a ser colocados. O aterro que existia desde essa altura entre o Cais das Colunas e a Praça da Estação Sul já foi retirado, pelo que foi recuperado o relacionamento pleno com o Tejo que existia antigamente”, lê-se na nota enviada às redações. 

De recordar que o projeto de reconstrução do Muro das Namoradeiras e a reabilitação da Praça da Estação Sul e Sueste, que envolvem uma área de intervenção com cerca de 13.000 metros quadrados (m2), são da responsabilidade dos arquitetos Bruno Soares e Pedro Trindade. 

Esta iniciativa está integrada num projeto ainda mais vasto de reabilitação da Estação Sul e Sueste e da Doca da Marinha, a cargo da ATL por incumbência da Câmara Municipal de Lisboa, cuja cerimónia de abertura está agendada para o final deste mês.