Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

TAP hipotecou sede no aeroporto de Lisboa (são 29 edifícios) para assegurar crédito de 75 milhões

Wikimedia commons
Wikimedia commons
Autor: Redação

A TAP precisou de hipotecar os 29 edifícios de que é composta a sua sede, no aeroporto de Lisboa, para assegurar um crédito de 75 milhões de euros junto de uma instituição portuguesa, numa operação que remontará a 2016, mas cuja hipoteca ainda se mantinha em 2018, segundo as contas da empresa dos últimos anos. 

Além da hipoteca da sua sede, e já em 2018, a companhia aérea vendeu um pacote de créditos, garantindo uma melhoria da sua situação de liquidez, escreve o ECO.

“Para garantia do pagamento dos montantes devidos ao abrigo de um contrato de mútuo, com instituição nacional, no montante de 75 milhões de euros, foi constituída uma hipoteca sobre um prédio urbano do grupo, composto por 29 edifícios para escritório, oficinas de material de construção e outros, sito no Aeroporto de Lisboa”, lê-se no documento sobre as contas do ano passado. 

Segundo a publicação, que se apoia também num artigo datado de novembro de 2015, os edifícios em causa estão situados nos terrenos que o novo acionista da TAP quis vender assim que entrou na companhia aérea. Um negócio que, depois da reformulação da estrutura acionista que se seguiu à entrada em funções do Governo socialista, não avançou

Na última avaliação feita e conhecida publicamente, em 2014, o valor atribuído pela Parpública aos terrenos onde se encontra a sede da companhia aérea rondava os 146 milhões de euros, recorda o ECO.