Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Bial prepara nova ampliação das instalações centrais na Trofa

A farmacêutica portuguesa deverá deslocalizar algumas equipas para o Centro Empresarial da Lionesa, em Matosinhos.

Bial
Bial
Autor: Redação

A Bial está a preparar uma nova ampliação das suas instalações centrais na Trofa, onde concluiu recentemente a colocação de 1.244 painéis solares fotovoltaicos na cobertura dos edifícios, num investimento que rondou os 330 mil euros. A farmacêutica portuguesa assume que está a “rebentar pelas costuras” e deverá deslocalizar algumas equipas para Leça do Balio, em Matosinhos.

“Decorrente do crescimento da empresa e inerente a limitações físicas do atual edifício alocado a funções de âmbito administrativo, a Bial alugou um espaço no Centro Empresarial da Lionesa, com uma área de 650 metros quadrados (m2)”, revelou fonte oficial do grupo da família Portela ao Jornal de Negócios, que avança a notícia.

O Centro Empresarial da Lionesa acolhe polos de empresas como a Farfetch, a Uber ou a RH Mais, e será agora a “casa” de algumas equipas da área de IT e de marketing da farmacêutica. Além disso, e segundo o responsável da empresa, a “Bial tem em curso um projeto de expansão das suas instalações na Trofa, nomeadamente ao nível do edifício de escritórios, área industrial e logística”. Não revelou, no entanto, o investimento previsto para o projeto de expansão nem datas de execução previstas.

Edifício-sede coberto com mais de 1.200 painéis solares

A Bial concluiu, recentemente, a instalação de 1.244 painéis solares fotovoltaicos na cobertura dos edifícios da sua sede, com uma potência instalada de 510kWp (quilowatt-pico), o equivalente ao abastecimento, em média, de 200 habitações durante um ano, segundo o comunicado da empresa. Os painéis ocupam uma área de aproximadamente 2500 m2 da cobertura dos edifícios da sede da empresa.

Segundo a Bial, a instalação irá permitir a produção anual de aproximadamente 746.741kWh (quilowatt-hora) e uma redução de emissões de 351 toneladas de CO2 por ano, o que corresponde aproximadamente à captação de CO2 por cerca de 2.100 árvores.

José Redondo, Administrador da Área Financeira e Industrial da farmacêutica salienta, citado no mesmo documento, que “este projeto traduz o compromisso, assumido já há vários anos, e a responsabilidade de Bial em continuar a inovar na incorporação da sustentabilidade na gestão do negócio e das suas operações, bem como a ambição de proteger o ambiente e contribuir para uma economia mais sustentável.”

Atualmente, a farmacêutica tem 159 investigadores, de 17 nacionalidades, e emprega mais de mil pessoas.