Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Lionesa vai dar moratória na renda às empresas que acolhe nos centros empresariais

As 68 empresas da Fábrica 3ás e 112 empresas do Centro Empresarial Lionesa poderão beneficiar desta medida.

Lionesa
Lionesa
Autor: Redação

O Grupo Lionesa, proprietário de um dos maiores centros empresariais da região do Grande Porto, vai oferecer às empresas “residentes” no Centro Empresarial Lionesa e na Fábrica 3ás a possibilidade de suspenderem parte ou a totalidade das rendas dos próximos seis meses. A moratória permite que estes valores sejam posteriormente liquidados, de forma diluída e sem juros, entre janeiro de 2021 e o final do contrato vigente entre cada empresa e o centro empresarial.

O apoio já foi apresentado às 112 empresas e estabelecimentos comerciais do Centro Empresarial Lionesa e às 68 empresas da Fábrica 3ás, podendo entrar em vigor já a partir de abril, segundo o comunicado da empresa.

A medida será implementada a dois níveis:

  • Os estabelecimentos comerciais podem usufruir de uma moratória de 100% do valor da renda, condomínio e estacionamento. Esta moratória será postecipada e diluída para o período entre janeiro de 2021 e os meses vigentes de contrato.
  • As empresas que aderirem a alguma das medidas extraordinárias criadas pelo Governo como resposta à situação epidemiológica do novo surto de coornavírus, nos próximos seis meses, podem beneficiar de uma moratória de 50% do valor da renda, do condomínio e do estacionamento. 

"A postecipação do valor dos arrendamentos nada mais é do que uma solução que implementamos para apoiar as empresas que estão connosco e que, tal como outras, se encontram a viver momentos difíceis”, explica Pedro Pinto, Founder CEO do Grupo Lionesa.

“Numa altura em que as empresas enfrentam dificuldades, o Grupo Lionesa quer ser uma força, uma mais-valia, e não uma fraqueza quando estas empresas regressarem à sua atividade regular, com as despesas inerentes”, acrescenta ainda o responsável.