Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Apoio ao acesso à Habitação: 1ºDireito regista adesão de 56% por parte de municípios e regiões autónomas

Primeiro relatório de execução do programa dedicado a pessoas carenciadas apresentado, ontem, pelo Governo no Parlamento.

Photo by Nick Karvounis on Unsplash
Photo by Nick Karvounis on Unsplash
Autor: Redação

O 1º Direito - Programa de Apoio ao Acesso à Habitação registou, até ao momento, uma adesão de 56% das entidades elegíveis para candidatura (municípios do país e regiões autónomas), permitindo identificar, até agora, mais de 25 mil situações de carência habitacional a que o programa se propõe dar resposta. Os dados foram revelados pelo Governo, esta quarta-feira, dia 14 de outubro de 2020, no âmbito do primeiro relatório de execução, apresentado no Parlamento.

"Nesta primeira avaliação deu-se especial enfoque à fase de adesão, que incide na elaboração e entrega das Estratégias Locais de Habitação (ELH) por parte dos municípios e das Regiões Autónomas", aponta o gabinete do Ministério das Infraestruturas e Habitação, em comunicado.

O programa 1º Direito, que integra o primeiro objetivo da Nova Geração de Políticas de Habitação (NGPH) do Governo socialista, está vocacionado para a eliminação de situações habitacionais indignas diferenciadas, centradas nas pessoas e nas famílias e, por isso, para lá das necessidades identificadas no âmbito do Levantamento Nacional das Necessidade de Realojamento Habitacional, realizado pelo IHRU. Nessa altura, em 2018, dos 187 municípios que identificaram necessidades de realojamento, 115 têm ELH em elaboração ou já elaboradas.

Cruzando a informação recolhida nas ELH já entregues com a informação reportada em 2018 pelos municípios, observa-se que o número total de soluções já sinalizadas nas ELH representa 98% do volume global de necessidades de realojamento identificadas no referido Levantamento.

Aos municípios cabe definir as estratégias ELH e priorizar as soluções habitacionais que pretendem ver desenvolvidas no respetivo território, bem como "agregar, avaliar e gerir todos os pedidos de apoio ao abrigo do 1.º Direito que lhe sejam submetidos".

"Nesta fase, o Governo gostaria ainda de salientar o interesse crescente que tem sido manifestado pelos municípios, apelando à sua colaboração para que seja possível concretizar o programa até ao 25 de abril de 2024", pode ler-se na mesma nota.

Dados a destacar do relatório de avaliação

  • 173 municípios do país e uma região autónoma já aderiram ao Programa 1º Direito (ou seja, 56% do total de entidades elegíveis para submissão de candidaturas);
  • Regista-se uma maior concentração de municípios aderentes no Norte e Centro do país;
  • 17 ELH estão já aprovadas pelo IHRU;
  • Das 17 ELH aprovadas, seis já apresentaram as suas candidaturas ao 1.º Direito e celebraram os correspondentes Acordos de Colaboração;
  • No seu conjunto, os acordos de Colaboração/Financiamento celebrados asseguram respostas habitacionais a 9.383 agregados familiares; 
  • 45% das respostas dizem respeito a intervenções de reabilitação, 23% a aquisição e reabilitação, 18% a construção, 8% a aquisição e 1% a arrendamento;
  • Os Acordos celebrados representam um investimento global estimado de cerca de 486M€, cujo financiamento se distribui pelas vertentes de comparticipação IHRU (179M€), empréstimo bonificado (173M€) e autofinanciamento (134M€);
  • Encontram-se integralmente executados 3 contratos de financiamento, que permitiram já disponibilizar 144 soluções habitacionais.