Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

As novas cidades que atraem investidores imobiliários são…

Autor: Redação

A recuperação do setor da construção e do imobiliário a nível mundial está fazer com que os investidores comecem a interessar-se por adquirir ativos noutras cidades, que nada têm que ver com os tradicionais mercados imobiliários. Metrópoles como Tel Aviv (Israel), Melbourne (Austrália), Miami (EUA), Chicago (EUA), Dublin (Irlanda), Panamá (Panamá), Beirute (Líbano) e Istambul (Turquia) são os novos mercados a ter em conta.

Nesta lista também se encontram, por exemplo, a Cidade do Cabo (África do Sul), Jacarta (Indonésia), Lagos (Nigéria) e Chennai (Índia). Segundo um relatório da consultora Knight Frank, que analisa, por exemplo, o gasto das grandes fortunas com patrimónios líquidos superiores a 30 milhões de euros, Cidade do Cabo, Istambul, Dubai (Emirados Árabes Unidos) e São Paulo (Brasil) são as cidades em que mais metros quadrados (m2) podiam ser adquiridos com um milhão de dólares. Seguem-se Bombaim (Índia), Tóquio (Japão), Miami e Los Angeles (EUA).

Segundo a consultora, os escritórios são o segmento do setor que mais interesse despertam entre quem tem muito dinheiro (33%). Seguem-se os espaços comerciais (24%) e os hotéis (21%). 

No momento de escolher onde é possível diversificar a carteira imobiliária, e segundo dados da consultora Jones Lang Lasalle, os investidores analisam em primeiro lugar a segurança do investimento e o potencial de rentabilidade. Mas também valorizam a profundidade do mercado imobiliário, a qualidade do setor, o nível de transparência, a facilidade em fazer negócios e a estabilidade política e económica da cidade/país. 

Também são tidas em conta as características gerais da cidade, como a qualidade do sistema de ensino, o nível de formação da população ativa, a capacidade tecnológica e a sua qualidade de vida.