Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Stone Garden, um edifício curioso que está a ser construído em Beirute

O verde brota do betão
Um edifício "em flor" / Lina Ghotmeth
Autor: Vicent Selva (colaborador do idealista news)

A capital do Líbano – Beirute - é mágica, enigmática e misteriosa. O elo entre o mundo ocidental e oriental que tem sido “assediado” pela guerra, destruído e enterrado mil e uma vezes. É um ponto de encontro de culturas que se reflete nas ruas, onde diferentes religiões e costumes coexistem.

Na capital, localizada entre a Síria, Israel, Jordânia e o mar Mediterrâneo, vivem cerca de um milhão de pessoas, ou seja, um quinto da população de todo o país. A história é tão dramática quanto apaixonante e reflete-se nas ruas, arquitetura e arte. Até hoje, prédios abandonados cobertos de natureza selvagem contrastam com os telhados vermelhos de casas tradicionais do Mediterrâneo. E foi nesse ambiente que surgiu a criação da arquiteta Lina Ghotmet, o edifício Stone Garden.

O conceito do edifício é simples. Baseia-se num esqueleto de betão a partir do qual, como contraponto à sua sobriedade, a natureza pode florescer. “Deixámos a natureza invadir um esqueleto de betão para mudar a perceção daquilo que poderia ser uma fachada neste contexto, limpando a fronteira entre a janela partida e a memória de evento violento”, explica a arquiteta libanesa.

A assimetria das janelas é um dos seus elementos característicos, já que "anima a fachada e torna as casas em cada um dos andares totalmente únicas”.