Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Esta insólita casa em Itália foi criada para acompanhar o movimento do sol

A La Casa Volante, assim se chama, fica em Castelnuovo Magra, no norte de Itália. Annunzio Lagomarsini foi o seu criador.

La Casa Volante
La Casa Volante
Autor: Vicent Selva (colaborador do idealista news)

O mundo da arquitetura é visto pela maioria das pessoas que não pertencem ao setor como algo muito sério. E é verdade, a arquitetura é um elemento fundamental, pois, há alguns milénios, o ser humano deixou de viver em cavernas e optou por construir os seus próprios espaços para todo o tipo de atividades. Embora muitas vezes não tenhamos consciência disso, a obra do arquiteto é o que moldou todas as cidades do mundo, e sem elas nenhuma seria a mesma. Poderíamos imaginar Roma sem o seu Coliseu, Barcelona sem a sua Sagrada Família, Londres sem o seu Big Ben, ou Nova Iorque sem o seu famoso horizonte de arranha-céus?

Porém, neste mundo fantástico que é o design e a arquitetura, também existem curiosidades que são interessantes, ou pelo menos impressionantes. E Annunzio Lagomarsini é o protagonista de uma delas desde que criou a La Casa Volante, que fica em Castelnuovo Magra, no norte de Itália. Lagomarsino, construtor aposentado, trabalhou por muitos anos na construtora da sua família, aprendendo sobre comércio, estruturas e engenharia. Em 1977 decidiu aplicar todos os seus conhecimentos numa “casa voadora” que demorou sete anos a construir e onde mais tarde viveu com a sua mulher.

Construída entre 1987 e 1994, a casa voadora tem 110 m2 distribuídos por dois pisos, incluindo dois grandes terraços. Foi construído com materiais reciclados de estaleiros e edifícios. Assenta sobre uma plataforma metálica que permite ser elevado a 20 metros do solo graças aos cilindros hidráulicos. Também pode girar 360 graus e deslizar sobre dois trilhos a uma distância de 12 metros.

“O meu pai, na velhice, movimentava-se com muita dificuldade”, explicou Lagomarsini. “Nos últimos anos da sua vida ele morava numa colina e pela manhã saía de casa bem devagar, e carregava uma cadeira. Procurava o sol o dia todo e é por isso que ele teve que movimentar-se para segui-lo, mas somente depois de muitos esforços conseguiu ter sucesso na sua tentativa. Então, prometi a mim mesmo que tentaria fazer algo para resolver esse problema quando ficasse mais velha. Perguntei-me: por é que eu é que tenho que seguir o sol e não deixar a casa fazer isso por mim?”. Colocou tanto esforço neste seu objetivo que conseguiu fazer com que esta casa, como se fosse um girassol, acompanhasse o sol todos os dias.

A casa voadora está suspensa numa estrutura de tesoura sem pivôt central e é feita de 80% de ferro reciclado. Esta estrutura tem 4,20 metros de altura e uma vez que o mecanismo de levantamento é acionado pode ser elevada mais 4,20 metros, resultando num total de 8,40 metros do solo. Em geral, a casa pode subir até 12,50 metros de altura. A rotação de 360º demora 54 minutos para completar o círculo completo.

Em 2012, Annunzio estava a fazer alguma manutenção quando acidentalmente apertou um botão que configurou um dos motores. Isso resultou numa explosão de pistões e motores que fez com que a casa voadora ficasse pendurada de um lado. Para consertá-la, teve que tirar a eletricidade do mecanismo e com a ajuda de uma grua conseguiu colocá-la de volta na posição horizontal. Infelizmente, a casa voadora já não pode elevar-se e só pode ser vista na posição de repouso.