Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Investimento em imobiliário comercial atinge em 2018 valor equivalente à soma de 7 anos

Teixeira Duarte vendeu o Lagoas Park ao fundo europeu Kildare por 375 milhões / lagoaspark.com
Teixeira Duarte vendeu o Lagoas Park ao fundo europeu Kildare por 375 milhões / lagoaspark.com
Autor: Redação

O mercado de investimento em imobiliário comercial voltou a ser a estrela da indústria em 2018 e estima-se um nível recorde de 3,3 mil milhões de euros transacionados. Este valor, segundo a JLL, supera de longe qualquer resultado de anos anteriores, com um crescimento de 74% face aos 1,9 mil milhões de 2017 (o anterior recorde) e quase corresponde à soma do volume investido no período entre 2008 e 2014 - excluíndo transações de imóveis para promoção imobiliária e reabilitação, ou aquisições de imóveis residenciais. 

O retalho, com 45% do capital transacionado em 2018, e os escritórios, com 24%, lideram as preferências dos investidores, dos quais 94% são de origem externa.

A consultora  - que anuncia ter assessorado três dezenas de transações no valor total de 1.796 milhões de euros - ressalva ainda que há também uma maior diversificação nos segmentos alvo de investimento, incluindo os alternativos (como as residências universitárias ou seniores), e os usos mistos, os quais pesam já 21%.

Como resultado desta presença internacional no imobiliário luso, a consultora destaca o facto de agora se realizarem em Portugal mais negócios de grande dimensão, como as operações de venda do Lagoas Park (mais de 375 milhões de euros) ou do Dolce Vita Tejo (mais de 230 milhões), do portfólio de shoppings da Blackstone (mais de 900 milhões e incluindo o Almada Forum, Forum Montijo, Forum Sintra e Sintra Retail Park) e do portfólio Fidelidade (mais de 425 milhões).

No mercado hoteleiro, o ano foi também de elevado dinamismo quer na componente de investimento quer na de ocupação. Registaram-se seis transações de ativos hoteleiros no total aproximado de 200 milhões de euros entre os quais o Penha Longa Hotel & Golf Resort, transacionado por cerca de 100 milhões; o InterContinental Porto-Palácio das Cardosas, com um valor recorde 500.000 euros por quarto, e o Monumental Palace.

"Talvez seja difícil voltar a atingir estes montantes"

O diretor da JLL Portugal, Pedro Lancraste, fala de um "ano histórico" e nas dificuldades de voltar a repetir estes montantes. O responsável lembra que a "grande fatia deste ano advém das grandes operações de centros comerciais que ocuparam um grande volume" e que" não há centros comercias de 400 milhões a ser vendidos todos os anos". Apesar de haver muito capital para investir, e de outros recordes para bater, adverte que será difícil ultrapassar novamente a barreira dos três mil milhões. 

O investimento em imobiliário comercial, tal como explica a consultora em comunicado, abrange imóveis de escritórios, retalho, industrial & logística e hotelaria, bem como os segmentos alternativos (não residenciais) como ativos de saúde, desporto ou ensino. Esta análise, acrescenta, considera ativos de rendimento, excluindo transações de imóveis para promoção imobiliária e reabilitação. Exclui igualmente aquisições de imóveis residenciais.