Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

A importância do papel de parede na decoração

Autor: Redação

Na década de 60, 70 e 80, quem não se lembra da casa dos nossos avós ou pais, com as paredes completamente revestidas a papel de parede, com cores fortes, padrões geométricos ou florais. Todos nós temos lembranças desses tempos.

O papel de parede é um elemento decorativo que teve origem na China, duzentos anos antes de Cristo. Os chineses começaram por forrar as paredes, usando papel de arroz branco, sem qualquer tipo de decoração ou ornamento. Chegou à Europa pelas mãos dos comerciantes árabes. Os ingleses e os franceses aceitaram esta nova tendência com muito entusiasmo.

Uma curiosidade: inicialmente na Europa os motivos no papel de parede ainda eram com muitos adornos chineses sendo um pouco limitados, dai ser utilizada a expressão “chinoisserie” a todos os que tivessem motivos orientais. 

Com a chegada dos papéis de parede à Europa, a sua fabricação acabou por evoluir com a inauguração da primeira fábrica em 1630, em França.

Nessa época, o grande boom foi na monarquia francesa com o Rei Luís XI, que não se poupou a custos ao decorar os seus palácios, com este elemento decorativo, seguindo-se os seus sucessores Luís XV e Luís XVI, cada um com o seu estilo adequado à época.

Com a industrialização, evolui-se nas cores e padrões e no seu fabrico, hoje em dia, comercializam-se bastantes variedades de papel de parede. Há para todos os gostos.

Após uma pausa no boom da colocação do papel de parede nas décadas mencionadas no início e deste estar um pouco esquecido, nesta ultima década o papel de parede voltou em força, sendo uma excelente alternativa decorativa para enriquecer e adornar as paredes das divisões das habitações, que no fundo são as que ocupam mais espaço visual.

Claro que se tem de ter algum cuidado na hora da escolha, depende da localização e do tipo de decoração/estilo que se pretende. Existe uma panóplia imensa na oferta deste produto, desde motivos geométricos, florais, riscas, imitação de pele, palhinha, pedra, etc... Podemos aproveitar ao máximo todas as potencialidades desta excelente ferramenta na decoração.

A sua aplicação tanto pode ser em paredes, como em tetos, portas ou mesmo mobiliário, neste caso a criatividade não tem limites para a sua utilização.

Na hora da escolha há que ter alguns cuidados, tais como:

– Nas zonas da casa mais movimentadas em que de algum modo possa haver mais sujidade opta por um papel de parede vinílico lavável, além de ser mais resistente é de fácil manutenção e é mais fácil de limpar.

– Tem sempre contigo o comprimento e a altura da parede onde pensas colocar o papel, para que o profissional possa contabilizar os rolos certos a adquirir e não corra o risco de comprar a menos ou a mais.

Aqui ficam algumas dicas para aplicares o papel de parede nas paredes da tua casa:

– Têm uma divisão pequena? Optem por um papel de riscas na horizontal em tons claros, vai dar a sensação de que a divisão é maior

- Se tens algumas imperfeições nas paredes opta por um papel texturado grosso e um pouco mais pesado, ajuda a disfarçar essas irregularidades sem teres de recorrer à sua reparação

- Numa divisão grande podes optar por um padrão mais ousado, pois um espaço mais amplo suporta este atrevimento

- Nos quartos infantis/juvenis podemos sempre optar por um papel de parede temático. Os motivos são numerosos, desde as princesas para as meninas até ao futebol para os meninos. As cores alegres e os desenhos fantasiados abrangem todos os gostos, de forma a decorar o espaço, focando a personalidade da criança. Também não é necessário cobrir a toda a parede, podendo colocar-se apenas um friso a fazer a separação e aplicar papel só na parte superior ou inferior, deixando o restante com tinta. 

Se pensas mudar a decoração da tua casa podes começar com um apontamento em papel de parede. Os benefícios são vários: fácil aplicação, orçamento acessível e impacto imediato. Aposta em pequenas mudanças que fazem grandes diferenças.

Texto e fotografias de: