Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Viver numa casa mais leve, limpa e feliz? 7 coisas a deitar fora

Mais do que nunca é importante fazer um "detox" à casa. E há várias coisas pouco úteis das quais podemos abdicar.

Photo by NordWood Themes on Unsplash
Photo by NordWood Themes on Unsplash
Autor: Redação

Mais do que nunca, a casa deve ser um refúgio sagrado. E o confinamento veio mostrar que a casa funciona como uma extensão de nós próprios: o que temos lá dentro, e o que vamos acumulando, tanto podem despoletar sentimentos de felicidade, como de tristeza, mesmo que não saibamos. Daí que fazer um "detox" à casa seja muitas vezes essencial para nos livrarmos do que já não importa e assim viver num espaço mais "mindfulness". Estes são 7 exemplos perfeitos do que podes deixar do lado de fora da porta desde já.

Heranças que não gostamos

Muitas vezes guardamos mobílias ou objetos da família que, na verdade, não vão ao encontro dos nossos gostos. Não querer ter na sala um armário antigo dos avós não significa que os amemos menos. Se não se encaixar pefeitamente, é melhor deixá-lo de fora ou até doá-lo a quem precise.

Photo by Hal Gatewood on Unsplash
Photo by Hal Gatewood on Unsplash

Peças com carga emocional negativa

Se tiverem peças que te trazem lembranças dorolosas, sempre que olhas para elas, está na hora de dar-lhes outro rumo. A casa deve ser um espaço de felicidade e conforto, e não um lugar dramático.

Presentes horríveis

Sim, todos nós já recebemos presentes dos quais não gostamos – dos amigos ou da família.. Se for mesmo importante, e não puderes desfazer-te desse presente, guarda-o em algum sítio que não te incomode. E não, não te podes sentir culpado se quiseres deixá-los fechados a sete chaves dentro de uma gaveta ou armário.

Photo by Joanna Kosinska on Unsplash
Photo by Joanna Kosinska on Unsplash

Coisas partidas

Quem nunca tentou colar um objeto partido em mil pedaços? O melhor é aceitar e deitar fora aquilo que sabemos que não pode mesmo ser arranjado. Era muito bonito, gostávamos muito, mas se nunca mais vãi ser o que era, o melhor é livrares-te dele.

Muitos espelhos

Eles são hipnóticos e muito decorativos, mas se és uma daquelas pessoas que sempre que tropeça num começa a analisar a sua imagem negativamente, deves manter apenas o essencial.

Photo by Christian Mackie on Unsplash
Photo by Christian Mackie on Unsplash

Projetos começados, mas não acabados

Há algum tempo começaste a tricotar, a querer aprender a tocar um instrumento ou até a renovar um móvel com dicas maravilhosas que viste no Pinterest. Tudo ficou pela metade e estás sempre a “esbarrar” com essas coisas às quais não deste continuidade ou não pudeste terminar. Se não houver paixão por esses hobbies, ou outros, o melhor mesmo será aceitar e “deixá-los” ir.

Memórias e mais memórias

É muito bom guardar coisas que nos levam a bons momentos, mas também pode ser emocionalmente pesado, se começar a ter o efeito contrário. Mantém apenas aquilo que faz falta e que te transmite boas sensações.

Photo by Joanna Kosinska on Unsplash
Photo by Joanna Kosinska on Unsplash