Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Pestana compra edifício mais emblemático da Plaza Mayor para abrir hotel de cinco estrelas em Madrid

Autor: Redação

Depois de Barcelona, onde entrou no ano passado, o Pestana volta a investir na vizinha Espanha. Agora, o grupo hoteleiro português escolheu a capital espanhola para abrir mais um hotel de cinco estrelas, comprando a concessão por 40 anos de um dos edifícios mais emblemáticos de Madrid, na mítica Plaza Mayor, em pleno centro turístico.

O Grupo Pestana venceu a corrida no concurso público para concessão da Casa de la Carnicería, lançado pelo Ayuntamiento de Madrid, tendo feito a oferta mais alta: 420 mil euros anuais, ao longo de quatro décadas, segundo avança o jornal espanhol El Confidencial, citando fontes conhecedoras do processo. Este valor corresponde a um prémio de 40% sobre o preço mínimo fixado pela câmara municipal de Madrid, de 300 mil euros.

A possibilidade de abrir um estabelecimento de luxo no coração histórico da capital espanhola despertou o interesse de vários importantes concorrentes. Por exemplo, entre os candidatos finais estavam a cadeia hoteleira espanhola NH e o grupo familiar Ardid, ainda segundo informações avançadas pelo diário espanhol.

A Casa de la Carnicería é um dos edifícios com mais história de Madrid. Construído no início do século XVII, a sua fachada é um dos postais mais vendidos da capital do país vizinho. O imóvel continuará a ser propriedade do Ayuntamiento de Madrid , sendo apenas entregue a sua exploração, neste caso, ao Grupo Pestana.

Construído como depósito geral de carnes dos mercados da cidade, ao longo do tempo, a Casa da Carnicería foi tendo vários usos oficiais da autarquia. E chegou mesmo a ser pensado para um Parador - oferta hoteleira similar às Pousadas de Portugal (exploradas pelo Grupo Pestana).

A entrada em Espanha do Grupo Pestana aconteceu em outubro de 2013, quando comprou um novo hotel em Barcelona. Com o apoio do Banco Sabadell, a cadeia de Dionísio Pestana fez um investimento de 15 milhões de euros para comprar a propriedade e gestão do Hotel Arena, que estava nas mãos da cadeia Vincci Hoteles.