Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Taxa de juro do crédito à habitação em queda há três meses – está em mínimos de mais de um ano

Dados do INE concluem que valor médio da prestação vencida diminuiu um euro em outubro, para 246 euros.

Autor: Redação

A taxa de juro implícita no crédito à habitação caiu, em outubro, pelo terceiro mês consecutivo. Fixou-se em 1,038%, abaixo dos 1,065% registados em setembro, e está em mínimos de mais de um ano: 1,038% em julho de 2018 e 1,032% no mês anterior. No que diz respeito ao valor médio da prestação vencida, diminuiu um euro, para 246 euros.

“A taxa de juro implícita no crédito à habitação diminuiu para 1,038%, valor 2,7 pontos base (p.b.) inferior ao registado no mês anterior. Nos contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro foi 1,134% (1,249% no período precedente)”, refere o Instituto Nacional de Estatística (INE).

INE
INE

Segundo a entidade, “para o destino de financiamento Aquisição de Habitação, o mais relevante no conjunto do crédito à habitação, a taxa de juro implícita para o total dos contratos desceu para 1,061% (-2,6 p.b. face a agosto)”. “Nos contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro para este destino de financiamento diminuiu 11,7 p.b. no mês em análise, passando de 1,237% para 1,120%”, lê-se no site do INE.

No que diz respeito ao valor médio da prestação vencida, diminuiu um euro em outubro, para 246 euros. “Deste valor, 46 euros (19%) correspondem a pagamento de juros e 200 euros (81%) a capital amortizado. Nos contratos celebrados nos últimos três meses, o valor médio da prestação diminuiu 15 euros, para 312 euros”, conclui o INE.

INE
INE

Já o capital médio em dívida para a totalidade dos contratos subiu 18 euros face ao mês anterior, fixando-se nos 53.231 euros. Para os contratos celebrados nos últimos três meses, o montante médio do capital em dívida fixou-se em 103.208 euros, menos 1.870 euros que em setembro.