Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Reclamações contra teleoperadoras e serviço postal disparam: Anacom recebeu 100.000 queixas

Alvaro Reyes/Unsplash
Alvaro Reyes/Unsplash
Autor: Redação

A Autoridade Nacional de Comunicações (Anacom) recebeu 101.100 reclamações em 2017, mais 16,6% do que no ano anterior, tanto no setor das telecomunicações como no serviço postal. No que diz respeito às telecomunicações, as principais operadoras – Meo, NOS e Vodafone – “foram responsáveis por 94% do total de reclamações”. 

De acordo com o Relatório de Regulação, Supervisão e outras Atividades, citado pela Lusa, foram recebidas 101.1000 reclamações, das quais 74.000 “tiveram origem no livro de reclamações dos operadores” – tanto através do livro físico (57.000) como do eletrónico (17.000). As restantes 27.000 foram feitas diretamente no regulador. Trata-se de uma subida de 16,6% face a 2016, segundo a Anacom.

A Meo foi o operador cujas reclamações mais aumentaram face a 2016 – foram mais 47% – , seguido da Vodafone (+31%) e da NOS (+14%).

No que diz respeito aos “operadores com menor número de clientes”, o relatório aponta um “significativo aumento do número de reclamações de clientes da NOWO”. O peso destas no total das reclamações subiu de 2% para 4%.

Em relação ao serviço postal, “a maioria das reclamações recebidas através do livro de reclamações dos operadores dizia respeito ao grupo CTT (93%)”, tendo as respetivas reclamações aumentado 46,9% face a 2016.

A maioria das queixas dos clientes está relacionada com problemas como “extravio/atraso significativo (17%), atraso na entrega (15%), falha na distribuição (15%), atendimento (8%) ou entrega na morada errada (7%)”, entre outros.