Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Há cada vez mais empresas em Portugal a fazer concorrência aos bancos - explicamos como

Photo by rupixen on Unsplash
Photo by rupixen on Unsplash
Autor: Redação

O número de empresas a querer “roubar” o negócio aos bancos está a aumentar. E há mais quatro entidades a tencionar fazê-lo em Portugal, isto é, a prestar serviços de informação sobre contas e/ou de iniciação de pagamentos. O Banco de Portugal (BdP) recebeu quatro pedidos de autorização – duas empresas já estão presentes no país, as outras duas são novas entidades.

Em causa está a nova diretiva europeia dos pagamentos – entrou em vigor no ano passado -, conhecida por PSD2 (“payment services directive”), e que regulou os novos serviços de pagamento, nomeadamente informação sobre contas e iniciação. Na prática, esta diretiva indica que os bancos têm de partilhar os dados das contas dos clientes com outras entidades, caso isto seja autorizado pelo cliente.

Os serviços de informação sobre contas, explica o Expresso, partem da autorização do cliente bancário. Ou seja, é o cliente que permite a uma entidade que consulte as suas contas dispersas por várias instituições, para depois fornecer essa informação global aos utilizadores.

Depois, os serviços de iniciação de pagamentos, em que os clientes optam por fazer os pagamentos a comerciantes é feito através de um fornecedor específico. Esse operador acede à conta do cliente e começa a operação do pagamento, em vez de ser o próprio banco a percorrer esse caminho, detalha o jornal.

Segundo o supervisor há, neste momento, quatro pedidos de autorização de operadores que pretendem entrar em áreas de negócio tradicionalmente ocupadas por bancos. Dois  partem de instituições que já estão presentes em Portugal, porque “já estão autorizadas pelo BdP a operar como instituições de pagamento e moeda eletrónica”, segundo disse fonte oficial do supervisor à mesma publicação.

Ou seja, duas destas empresas já prestam outros serviços, mas agora querem alargar a atividade para estas duas novas áreas de negócio. Os outros dois pedidos são de novas instituições, mas que não estão ainda autorizados pelo BdP a prestar serviços por si supervisionados. 

Se receberem autorização, estas entidades poderão aceder ao API Market, primeira plataforma nacional de 'open banking' (banca aberta) que agrega 18 bancos nacionais e que dá acesso a 95% das contas bancárias em Portugal, como o idealista/news noticiou.