Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

CGD põe fim à Imocaixa que teve perda de 40 milhões com projeto espanhol

A Imocaixa está sem trabalhadores e tem tivos avaliados em seis milhões de euros.

Autor: Redação

O banco público vai extinguir a Imocaixa – que teve perdas de 40 milhões com um projeto em Espanha -, e incorporá-la na Caixa Imobiliário. A operação faz parte de um processo de simplificação do Grupo Caixa Geral de Depósitos (CGD) que foi negociado com as autoridades europeias.

A Imocaixa - que foi criada para gerir imóveis - tem, atualmente, ativos avaliados em seis milhões de euros, mas está sem trabalhadores. São 19 imóveis, no total, segundo o ECO, e mais 63 terrenos em Ajalvir (Espanha), herdados pelo empréstimo do banco público à promotora Nozar que ía desenvolver um projeto naquela zona, mas que faliu.

A sociedade vai passar para a alçada da Caixa Imobiliário, a sociedade do banco responsável pela aquisição de bens imóveis para revenda, promoção imobiliária e arrendamento. A entidade tem 57 milhões de euros e gere um ativo de 112 milhões.

“A presente fusão faz parte do processo de reorganização societária do Grupo CGD, o qual se enquadra no plano estratégico acordado entre o Estado português e a Comissão Europeia, e tempo por objetivo a simplificação da estrutura societária do Grupo CGD, através da redução do número de sociedades que são instrumentais à sua atividade”, lê-se no projeto de fusão a que o jornal teve acesso.

O banco vai “eliminar estruturas supérfluas e geradoras de custos para o consolidado do Grupo CGD“, segundo o documento.