Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Banco público funde sociedades para criar 'macro' gestora de ativos mobiliários e imobiliários

A CGD está a reorganizar a estrutura através da fusão e extinção de empresas.

Wikimedia commons
Wikimedia commons
Autor: Redação

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) continua o processo de reorganização da sua estrutura com a fusão e extinção de empresas e sociedades. Desta vez, o banco estatal vai fundir duas sociedades gestoras de ativos, nomeadamente a Caixa Gestão de Ativos e a Fundger. O objetivo é criar uma só entidade que passará a gerir quase 24 mil milhões de euros em ativos mobiliários e imobiliários.

O processo deverá ficar fechado ainda este ano, de acordo com a notícia avançada pelo ECO. “A projetada fusão permitirá racionalizar a estrutura organizacional e de administração das sociedades, representando assim mais uma etapa no âmbito da racionalização e simplificação das sociedades gestoras de fundos de investimento”, refere a CGD, citada pela mesma publicação.

Caso se confirme, a nova “super” gestora terá uma “uma estrutura de gestão única” para simplificar processos e otimizar a estratégia de mercado de cada uma das sociedades. A CGD refere que a entidade resultade da fusão “será mais sólida e sustentável e mais preparada para responder aos desafios do futuro”.

A Caixa Gestão de Ativos gere uma carteira de quase 23 mil milhões de euros em ativos mobiliários e a Fundger tem mais de 800 milhões de euros em ativos imobiliários sob gestão.