Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Banco de Portugal: os desafios de Carlos Costa nos próximos cinco anos

Autor: Redação

Em cinco anos, Carlos Costa passou de um quase ilustre desconhecido para um dos homens mais poderosos e falados da atualidade nacional. Ontem foi reconduzido pelo Governo para mais um mandato como governador do Banco de Portugal. Depois de ter vivido a nacionalização do BPN, o fim do BPP, o colapso do BES, a OPA ao BPI, e muito mais, estas são os desafios que terá agora pela frente, apontados pelo Expresso.

1. Novo Banco: Das decisões mais relevantes dos próximos tempos e marcará o mandato que agora se inicia. Tendo em conta que a venda do Novo Banco estava prevista para o primeiro semestre do ano, o BdP tem apenas um mês para tomar uma das decisões mais relevantes de sempre para a banca portuguesa.

2. Papel comercial: Este é um desafio bastante complicado, já que o Banco de Portugal garantiu o pagamento dos investimentos feitos aos balcões do BES, mas mais tarde acabou por contrariar a decisão, ao mostrar que a lei não o previa. Em breve poderão surgir ações judiciais contra o BdP, o Novo Banco e até o Estado, o que trará problemas a Carlos Costa.

3. Processos de contraordenação: O Banco de Portugal levantou cinco processos de contraordenação após a queda do BES mas apenas um passou a fase de acusação. No próximo mandato o responsável pelo BdP deverá continuar nos tribunais para ajudar a condenar os culpados.

4. Processos contra o BdP: A resolução do caso BES foi uma novidade a nível nacional e os exemplos no estrangeiro são quase nulos, mas essa questão deveu-lhe um processo da Goldman Sachs e poderá trazer outras ações judiciais de obrigacionistas do BES prejudicados pela decisão.

5. Montepio e Banif: Estes dois bancos ainda se mantém sobre dependência direta da supervisão do Banco de Portugal e enfrentam graves problemas. Carlos Costa terá de tomar importantes decisões sobre estes casos em concreto e ajudar a definir um futuro.

6. Recuperar a credibilidade: Esta é uma das grandes missões do Governador do Banco de Portugal, já que a imagem do banco foi afetada pelos diversos casos da banca portuguesa.

7. Consolidação da banca: A banca portuguesa irá entrar num processo de consolidação e há a possibilidade de haver união, o caso da OPA sobre o BPI ou a sua possível fusão com o BCP, ou será complicado distanciar-se dos 'gigantes' europeus.

8. Provar que tinha razão: Carlos Costa tem sido alvo de imensas criticas, principalmente em relação ao que aconteceu no BES, porém pretende mostrar que tinha razão e que os portugueses e os responsáveis podem confiar na sua liderança.