Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Emblemático edifício Assembleia da Granja convertido em condomínio de luxo na praia de Espinho

José Luís Dias
José Luís Dias
Autor: Redação

O edifício histórico da Assembleia da Granja está a ser transformado num condomínio residencial topo de gama, com 14 apartamentos, de diversas tipologias e grandes áreas. Localizado na seleta e aprazível Praia da Granja, perto de Espinho, o novo empreendimento resulta da reabilitação do edifício que na altura da aquisição pelo empresário José Luís Dias já se encontrava em avançado estado de degradação.

O projeto residencial exclusivo e de qualidade, vai contar com financiamento, em cerca de 50%, do IFFRU - Instrumento Financeiro para a Reabilitação e Revitalização Urbana, em conjunto com o Banco Santander, segundo avança a Vida Económica Imobiliário (VEI).

De acordo com José Luís Dias - que em 2009 também reconstruiu e transformou em habitação de qualidade o hotel da Granja - o investimento total na reabilitação do edifício da Assembleia da Granja é de 6,8 milhões de euros, que incluiu já a aquisição do imóvel, que na altura se encontrava em avançado estado de ruína.

Um edifício emblemático que acolheu reis e a aristocracia

Construído em 1892 por um grupo de aristocratas da época que, nesta praia, de microclima, usufruíam dos seus tempos de veraneio, aqui viveram horas de lazer importantes personagens como o Rei D. Carlos e a Rainha D. Amélia, Príncipe Luís, escritores como Eça de Queirós, Camilo Castelo Branco, Ramalho Ortigão e Sophia de Mello Breyner, a conhecida violoncelista Guilherminia Suggia, entre muitos outros.

A reconstrução do imóvel, que se encontra neste momento em fase de fundações, “vai manter a antiga fachada, patrimonial e aristocrática”, que será conseguido pela reposição das pedras que foram retiradas e numeradas no início do processo e que serão colocadas na fase de construção, contou ainda o proprietário da sociedade detentora do imóvel ao jornal. 

Uma das tipologias, no topo do edifício agora a ser reabilitado, terá 200 m2 de varandas, o que permite a instalação de alguns equipamentos, como é o caso de uma piscina. E seis dos apartamentos, T2 e T3, são duplexes.

Neste momento, segundo o responsável, o empreendimento na zona do Grande Porto tem já algumas reservas por parte de futuros compradores - uma de um estrangeiro e as restantes de nacionais.