Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Vereador do Bloco em Lisboa prestes a fazer mais-valia de 4,7 milhões com prédio em Alfama

Cartaz de campanha de Ricardo Robles / Twitter
Cartaz de campanha de Ricardo Robles / Twitter
Autor: Redação

Um dos maiores críticos da especulação imobiliária em Lisboa está em vias de realizar uma mais-valia de 4,7 milhões de euros com um prédio em Alfama. Em causa está uma transação realizada por Ricardo Robles, vereador do Bloco de Esquerda na Câmara Municipal da capital com a irmã. O responsável político, que tem feito do direito à habitação acessível na capital uma das suas bandeiras, alega que trata-se de um negócio de família, tendo o imóvel sido comprado em 2014 e cuja venda não foi ainda concretizada.

Robles, juntamente com a irmã Lígia - que terá residência na Bélgica -, terá adquirido há cerca de quatro anos, um velho edifício de três pisos à Segurança Social, avança esta sexta-feira o Jornal Económico, dando nota de que o imóvel, situado na Rua do Terreiro do Trigo, em Alfama, perto do Museu do Fado, teve um custo de 347 mil euros.

Google Maps
Google Maps

Depois da compra, feita com dois empréstimos, da Caixa Geral de Depósitos e do Montepio, e com financiamento por parte de parentes, os dois irmãos terão investido 650 mil euros em obras, tendo chegado a acordo com a maioria dos inquilinos para rescindir os contratos de arrendamento.

Já no final de 2017, com o edifício totalmente reabilitado, e com mais um andar, colocaram-no à venda numa imobiliária especializada em imóveis de luxo, com uma avaliação de 5,7 milhões de euros, podendo vir a obter uma mais-valia potencial de 4,7 milhões de euros.

“Comprei um imóvel com a minha irmã, em 2014, como parte de um negócio de família. Absolutamente ninguém foi despejado: a única família que lá vivia, lá continua, agora com casa recuperada e contrato em seu nome, por 8 anos e renda de 170€. Todos os direitos protegidos”, veio declarar no twitter o vereador do BCE, depois da publicação da notícia do semanário.

Além destes inquilinos, com quem Robles e a irmã chegaram a acordo, tiveram de litigar com o proprietário de um restaurante no rés-do-chão que colocou os irmãos em tribunal, exigindo 120 mil euros de compensação. 

Robles, vereador da CML com o pelouro da Educação, Saúde, Direitos Sociais e Cidadania, garante ainda que “a decisão de venda, ainda não concretizada, obedece a constrangimentos familiares que não dependem apenas da minha vontade. Todas as minhas obrigações legais, fiscais e de transparência foram cumpridas”.

Quem é Ricardo Robles?

Com 40 anos e dois filhos pequenos (um menino e uma menina), Ricardo Robles chegou a vereador da CML, depois de conseguir um cada vez maior protagonismo na Assembleia Municipal de Lisboa, tendo-se tornado deputado em 2009, em regime de rotatividade, e eleito em 2013.

Assumiu-se quase sempre como uma voz crítica de Fernando Medina, em vários aspetos: transportes, creches, habitação - aliás o lema da sua campanha às autárquicas (na foto).

Apesar de viver em Lisboa, Ricardo Robles nasceu em Almada. Foi ainda criança para os Açores, para a ilha de Santa Maria – o pai era militar e foi destacado para lá. Viveu ali dos seis aos 10 anos, brincava na rua até tarde. Os pais, segundo um artigo de perfil de Robles do Público, não sendo militantes, contribuíram para que fosse de esquerda.

Com 10 anos, muda-se para o concelho do Seixal, onde fez o resto dos estudos até ir para o Técnico, em Lisboa, estudar Engenharia Civil, tendo feito Erasmus em Copenhaga.

Depois, especializou-se em eficiência energética, tornando-se em perito qualificado pela Adene - Agência para a Energia para fazer avaliações energéticas de edifícios.