Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Google investe mil milhões para construir novo campus em Nova Iorque

Techcrunch
Techcrunch
Autor: Redação

Nova Iorque, nos EUA, está definitivamente na mira das grandes tecnológicas. Depois da Amazon, é agora a vez da gigante Google anunciar que vai avançar com um investimento de mil milhões de dólares (cerca de 884,180 milhões de euros ao câmbio atual) para construir um novo campus na primeira cidade onde há 20 anos abriu portas, fora da zona onde nasceu, a Califórnia.

Com 150 mil metros quadrados (m2), o Google Hudson Square vai ser a localização principal principal da empresa e deverá estar concluído em 2010, duplicando para 14 mil o atual número de trabalhadores.

“Hoje estamos a dar o próximo passo no nosso compromisso com a nossa presença em Nova Iorque, investindo mais de mil milhões de dólares para construir um novo campus, o Google Hudson Square”, localizado em 315 and 345 Hudson Street, segundo revelou a Google num post publicado no seu blog

A empresa aproveita a mesma publicação para afirmar que “Nova Iorque continua a ser uma grande fonte de talentos diversificados e de nível internacional. Foi isso que levou a Google à cidade em 2000 e é isso que nos mantém aqui“, atualmente com 7 mil funcionários.

“O nosso investimento em Nova Iorque é uma grande parte do nosso compromisso de crescer e investir nas instalações, nos escritórios e nos funcionários nos Estados Unidos. Na verdade, estamos a crescer mais rapidamente fora da área da baía de São Francisco do que dentro dela, e este ano abrimos novos escritórios e centros de dados em locais como Detroit, Boulder, Los Angeles, Tennessee e Alabama. E, à medida que continuamos a crescer em todo o país, esperamos continuar ligados a Nova Iorque durante muitos anos“.

A Google junta-se, assim, ao leque de empresas que tem vindo a reforçar a presença em certos mercados, nomeadamente através da construção de novas sedes. Na semana passada, a Apple anunciou que vai investir numa segunda sede dividida entre Nova Iorque e Virgínia, num total de 5 mil milhões de dólares e 50 mil trabalhadores.