Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Os escuteiros recusam-se a abandonar o refúgio de Jackie Kennedy na Arrábida

Milionários estrangeiros compraram o mítico Palácio da Comenda, mas chocam com a justiça e burocracia.

Palácio da Comenda, na Arrábida. / http://justgo.com.pt/2017/09/08/setubal/
Palácio da Comenda, na Arrábida. / http://justgo.com.pt/2017/09/08/setubal/
Autor: Redação

De casarão que abrigava personalidades como Jackie Kennedy a um abrigo de 'boy scouts'. Um grupo de escuteiros portugueses interrompeu a compra do lendário e glamouroso palácio português da Comenda, na Arrábida. Dois bilionários tinham em curso o processo para fechar a compra, mas o Agrupamento 415 Santa Maria do Corpo Nacional de Escuteiros sacou de todos os trunfos para deixar a operação em 'stand by', alegando que, desde há vinte anos, têm cuidado da casa.

O preço inicial do edifício era de 45 milhões, mas, segundo o El País, os milionários estrangeiros pagaram apenas 16 milhões de euros até ao momento. E, com tudo isto, uma transação que seria do mais simples, complicou-se por contornos inesperados.

A primeira frente de batalha que o casal de compradores tem é com a Câmara Setúbal, uma vez que a propriedade dificultava o acesso público à praia de Albarquel. O acordo inicial entre o município e os novos proprietários foi cumprido em termos estritos, mas o estacionamento público e seu acesso foram bloqueados, assim como a área pública de piquenique.

A segunda frente, e a mais sonante, é a pressão do Grupo 415 do Corpo Nacional de Escudos, os escoteiros portugueses. Durante vinte anos, o moinho da quinta foi o seu refúgio. No final de janeiro, já não puderam entrar: portas e janelas fechadas e fechaduras mudadas.

"Durante todo esse período, nunca prestámos contas aos proprietários do imóvel pelo uso exclusivo da Casa Abrigo, tendo pago por toda a manutenção e conservação do espaço e da área circundante", pode ler-se num comunicado da presidente da escoteiros locais, Nicole Novo. De momento, a Justiça decretou uma providência cautelar para o moinho.

Quinta histórica

Pertenceu a Vasco da Gama e à Rainha D. Maria II e, ao longo do século XX, e foi casa de veraneio do Conde D'Armand e dos seus amigos da alta sociedade e realeza europeia. No século passado, recebeu Jackie Kennedy e os seus filhos Caroline e John, em 1963. Mais tarde, a sua irmã Lee e o seu amigo, o escritor Truman Capote, visitaram a propriedade, em 1965. Essa estadia é mais documentada. Em 1980, a família Armad vendeu a propriedade ao português Antonio Xavier de Lima e, dois anos após a sua morte, em 2009, a família colocou o prédio à venda por 45 milhões, sem sucesso até dezembro do ano passado.

Os novos proprietários, agora em disputa com os escuteiros e a autarquia, adquiriram 600 hectares de floresta, em zona de reserva integral do Parque Natural da Serra da Arrábida, com vários edifícios e uma praia particular, com vistas para Tróia. É num promontório sobre o rio Sado que se ergue este palácio, com cinco pisos e 26 quartos, e desenhado pelo arquiteto Raul Lino, em 1903, para servir de residência de veraneio ao Conde D’Armand, ministro de França.